Política

Wellington Dias vai a Curitiba e lamenta um ano de prisão de Lula

“Um ano. 365 dias da prisão do maior líder político do Brasil. Colocar em palavras o sentimento hoje, aqui em Curitiba, é tentar explicar o inexplicável', escreveu o governador.
07/04/2019 18h04 - atualizado

O governador Wellington Dias (PT) foi para Curitiba, no Paraná, onde o ex-presidente Lula está preso há um ano. No dia 07 de abril de 2018, Lula se entregava à Polícia Federal após ser condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Wellington continua reforçando que a prisão é injusta e afirma que a liberdade de Lula é importante para o crescimento do Brasil.

“Um ano. 365 dias da prisão do maior líder político do Brasil. Colocar em palavras o sentimento hoje, aqui em Curitiba, é tentar explicar o inexplicável. A emoção, a revolta, a vontade de ver o Lula livre. Líderes do Brasil e do mundo reunidos em prol da liberdade deste grande líder. Agora, é o Brasil que está prisioneiro de uma longa crise econômica, trazendo recessão e desemprego, crise política e institucional, porque apostaram no caminho de rasgar a Constituição Federal. Precisamos de maturidade política. Quero, assim como milhões de brasileiros, um país sem crises, com democracia, respeitando a nossa constituição. Quero ver o Brasil acelerando crescimento e qualidade de vida, por isto a importância da liberdade de Lula”, escreveu o governador em uma rede social.

  • Foto: Wellington Dias/FacebookGovernador do Piauí esteve em Curitiba junto a outras lideranças do Partido dos Trabalhadores.Governador do Piauí esteve em Curitiba junto a outras lideranças do Partido dos Trabalhadores.

A deputada Rejane Dias (PT) também falou sobre a data. Para ela, hoje completa-se “um ano de injustiça”.  “A prisão do Presidente Lula, vítima da maior perseguição política da história do nosso País, completa um ano neste domingo. Um ano de injustiça. Um ano de resistência. Um ano de luta pela liberdade e pelo Brasil que queremos. Os brasileiros que querem Lula Livre são os que sonham com a volta de um Brasil que dava certo, que tinha oportunidades, que tinha emprego, acesso à universidade, crédito e moradia, que lhes proporcionava três refeições por dia, um País feliz e oportuno, não o Brasil eivado de ódio que hoje se vive”, disse.

Sobre a condenação

O ex-presidente Luiz foi condenado, em primeira instância, pelo juiz Sérgio Moro. A acusação foi de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia feita pelo Ministério Público Federal relatava que Lula recebeu propina da empreiteira OAS.

A suposta vantagem, no valor de R$ 2,2 milhões, teria saído de uma conta de propina destinada ao PT em troca do favorecimento da empresa em contratos na Petrobras.

Segundo o MPF, a vantagem foi paga na forma de reserva e reforma do apartamento tríplex em Guarujá (SP), no litoral paulista, cuja propriedade teria sido ocultada das autoridades.

Lula foi condenado a 9 anos e seis meses de prisão mas teve a pena aumentada para 12 anos e um mês pelos desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Mais na Web