Coronavírus no Piauí

Wellington libera consumo de bebidas alcoólicas em bares e restaurantes

O decreto resguarda o consumo em bares e restaurantes, desde que haja o cumprimento do protocolo de prevenção específico para a categoria.
22/10/2020 09h35 - atualizado

Na noite dessa quarta-feira (21), o governador Wellington Dias decretou novas medidas a serem adotadas para reduzir a transmissibilidade da Covid-19. Serão convocadas forças de segurança, vigilância sanitária e equipes de saúde para promover a testagem da população e intensificar a fiscalização do cumprimento dos planos específicos de retomada de atividades.

Com o endurecimento da fiscalização, haverá vistorias de policiais civis e militares mais frequentes nas ruas e em estabelecimentos para fiscalizar a exigência do uso de máscaras, álcool em gel e o distanciamento social. As casas de eventos também serão observadas, em relação ao cumprimento da capacidade de ocupação.

Será intensificada ainda a ação da Polícia Rodoviária Federal e demais órgãos de fiscalização de trânsito, com a realização de blitz e testagem de condutores com etilômetro. A medida é em razão do aumento da demanda de leitos hospitalares por conta de acidentes de trânsito, que ocupam as vagas que poderiam atender pacientes com o novo coronavírus.

Apenas na última semana, o Piauí registrou uma média de 10 óbitos por dia, com 70 mortes pela Covid-19, o que levou a uma preocupação por parte do governo, que decidiu decretar medidas mais rígidas de prevenção ao novo coronavírus.

Lei Seca

De acordo com o decreto, está proibido o consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos e no entorno de estabelecimentos privados, como bares e restaurantes. A restrição também se aplica a praças e outros lourgadouros, que sejam fora do ambiente domiciliar.

O decreto resguarda o consumo em bares e restaurantes, desde que haja o cumprimento do protocolo de prevenção específico para a categoria.

Busca-ativa

Também foi determinada a realização de Busca-ativa, programa que promove a testagem da população, incluindo pessoas assintomáticas, por meio de visitas domiciliares, com a intenção de identificar infectados pela Covid-19.

Atividades de campanha eleitoral

Em relação às atividades de campanha, Wellington Dias ressaltou que existe um protocolo que deve ser seguido por candidatos e partidos e afirmou que a fiscalização é de responsabilidade da Justiça Eleitoral.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web