Piauí

Wellington quer identificar piauienses que não receberam auxílio

O governador Wellington Dias informou que deverá conceder um benefício a famílias com vulnerabilidade social e econômica que não foram contempladas com auxílio emergencial da União.
10/04/2020 08h30 - atualizado

O governador Wellington Dias anunciou que busca identificar os piauienses em situação de vulnerabilidade social que não conseguiram acesso ao auxílio emergencial do Governo Federal, para que essas pessoas possam receber um benefício semelhante do governo estadual.

O repasse da União no valor de R$ 600 teve início nessa quinta-feira (9), para pessoas cadastradas no CadÚnico, não contempladas pelo Bolsa Família. Há um grande número de famílias no Piauí que se enquadram no perfil, mas há a possibilidade de alguns não conseguirem se habilitar para receber a ajuda.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraGovernador Wellington Dias.Governador Wellington Dias.

Em videoconferência com gestores da área social, Wellington Dias reiterou a prioridade para que nenhuma pessoa necessitada fique sem assistência no Piauí.

“O melhor dos mundos é aquele onde se protege os mais pobres do Piauí. Não vamos deixar que as pessoas passem fome em nosso estado. Vamos fazer uma busca ativa para não deixar nenhuma família de fora”, relatou o governador.

A Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos (Sasc) está analisando toda a base de cadastros no sistema de assistência em nível estadual. São aproximadamente 750 mil famílias, sendo 400 mil atendidas pelo Bolsa Família. O órgão informou que está priorizando a resolução de pendências para garantir o auxílio emergencial ao maior número possível de famílias.

Na próxima terça-feira (14), o secretário da Sasc, José Santana, se comprometeu em apresentar a relação com o resultado da busca ativa pelos não-beneficiados. “Precisamos de um tempo até se confirmar o benefício para que a gente não incorra no risco de incluir pessoas que já vão ser atendidas pelo auxílio emergencial. São 750 mil famílias cadastradas no sistema, cerca de 400 mil no bolsa família”, declarou o secretário.

O deputado estadual Francisco Limma, sugeriu a separação em zonas (urbana e rural) para facilitar a identificação das famílias que devem receber o atendimento do governo estadual. A deputada estadual Elizângela Moura, ligada ao movimento dos trabalhadores na agricultura, participou da reunião virtual e foi convidada a auxiliar nessa triagem. Participaram ainda da videoconferência, o deputado estadual Francisco Costa e o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Herbert Buenos Aires.

O governador Wellington Dias finalizou a reunião pedindo a todos que reforcem, durante o feriado, o apelo do “fique em casa”. “O cuidado é para não chegar nas pessoas onde o vírus é mais perverso. Doze por cento da sociedade é do grupo de risco: diabéticos, hipertensos, pessoas com problema renal, cardíaco, hepático, pulmonar. São esses que complicam. Há necessidade de a gente manter ainda o apelo para todos ficarem em casa”, ressaltou.

Mais na Web