Coronavírus no Piauí

Wellington quer que Governo Federal compense ausência de auxílio

O chefe do executivo estadual sugeriu que a primeira parcela do novo auxílio emergencial, que deve ser paga em março, compense janeiro e fevereiro, meses que a população ficou sem o benefício.
03/03/2021 15h54 - atualizado

Nessa terça-feira (02), o governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, solicitou ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, apoio a proposta dos governadores, de convencer o Governo Federal a pagar uma compensação aos brasileiros por não ter prorrogado o auxílio emergencial.

“O Governo Federal só pagou auxílio emergencial até dezembro. Não prorrogou para janeiro e fevereiro. A fome não tirou férias. Já que não teve a prorrogação, como fizeram outros países, há de se encontrar uma solução para esse vazio”, disse o governador.

  • Foto: AscomGovernador do Piauí, Wellington Dias.Governador do Piauí, Wellington Dias.

O chefe do executivo estadual sugeriu ainda que a primeira parcela do novo auxílio emergencial, que deve ser pago em março, após aprovação do Congresso Nacional, compense esses dois meses em que a população ficou sem o benefício.

Os demais governadores presentes na reunião com o gestor, trataram também da compra de vacinas para o combate à Covid-19, no país.

Os gestores querem uma definição clara do cronograma de vacinação, já que os recursos para a compra das vacinas já estão garantidos pelo Ministério da Saúde.

  • Foto: AscomReunião de Wellington com outros governadores do Brasil.Reunião de Wellington com outros governadores do Brasil.

De acordo com o governador, um chefe do executivo estadual de estado vai integrar o grupo de trabalho já existente na Câmara e o Senado para dialogar com os laboratórios do Brasil e do exterior na tentativa de agilizar a compra das vacinas. Haverá ainda a participação do Ministério do Exterior.

Mais na Web