Viagora

“Clamamos por justiça”, diz tio de adolescente morto em Teresina

Nessa quarta-feira (26), o delegado geral da Polícia Covil, Luccy Keiko afirmou que o tio do empresário João Paulo, confessou o assassinato.

O tio do adolescente Luian Ribeiro de Oliveira, de 16 anos que foi encontrado morto às margens da PI-112 na zona rural Leste de Teresina em novembro de 2021, falou sobre o sentimento da família em relação às últimas descobertas da polícia sobre o caso.

Em entrevista ao Viagora, o taxista Lucivaldo, de 42 anos, afirmou que a família está inconformada após saber que mesmo confessando o crime, o tio do empresário João Paulo, dono do Frango Potiguar, está em liberdade. 

Nessa quarta-feira (26), o delegado geral da Polícia Covil, Luccy Keiko afirmou que o tio do empresário, confessou o assassinato.

Foto: Arquivo pessoalLuciveldo, tio de adolescente assassinado em Teresina.
Lucivaldo, tio de adolescente assassinado em Teresina.

Além de Luian Ribeiro, Anael Natan Colins de 17 anos também foi encontrado morto no mesmo dia, ambos estavam juntos e teriam ido à uma festa. “Estamos inconformados pela situação deles terem saído em liberdade. Confessaram o crime que mataram e com nove horas depois já foram embora. Isso é errado”, disse.

Lucivaldo diz que a família quer justiça e que se sente desrespeitada com a situação do suspeito do crime não estar preso ainda, mesmo após a confissão. Ele também declara que não acredita na versão de que os adolescentes teriam pulado o muro para roubar o tio do empresário.

“Eles confessaram o crime, o advogado chegou, resolveu todo o problema e os homens já foram para casa. Isso é uma falta de respeito. A família pede justiça. A gente clama por justiça, clamamos por justiça, não existe essa situação que eles colocaram que os meninos tinham subido no muro e que os meninos queriam roubar a casa do tio do João Paulo que é o dono do Frango Potiguar. O que eles falaram não existe, a gente não acredita na versão deles”, declarou.

Foto: Arquivo pessoalLuian Ribeiro de Oliveira.
Luian Ribeiro de Oliveira.

De acordo com o taxista, os adolescentes não tinham antecedentes criminais e não tem histórico de uso de drogas ou envolvimento com crimes.

“Os meninos não tem antecedentes criminais, não usam drogas, não são ladrões. Eles eram umas crianças que queriam apenas brincar, como todo adolescente que gosta de dá uma voltinha, passear. Realmente eles saíram para um aniversário em um negócio do caranguejo, no Planalto Uruguai e de lá eles deram uma volta”, afirmou.

O tio também ressalta que acredita na possibilidade do sobrinho, junto com o amigo, ter subido no muro para tentar entrar na festa por não ter dinheiro, mas que não justifica o assassinato.

“Pode até ter acontecido dos meninos terem subido em algum muro tentando entrar dentro da festa, porque podia não ter o dinheiro de entrar e quando é jovem isso acontece, mas essa versão de que eles entraram para roubar eu tenho certeza que não foi. Sabe-se que se a gente pegar um ladrão roubando, não temos o direito de matar, temos que conter e chamar a polícia para fazer as medidas necessários. Ninguém pode levar o ladrão para o mato e matar. Ainda mais sendo duas crianças”, destacou.

Segundo Lucivaldo, Luian era comportado e gostava de jogar bola. “Era um menino comportado que gostava muito de jogar bola, ele treinava em um time de Altos quase toda semana, um menino excelente, respeitador, nunca se envolveu com nada, era tranquilo”, disse.

O taxista também relata que a família dos dois jovens vem sofrendo ameaças após a divulgação do caso e prisão do empresário. “Tem um pessoal ligando para as mães dos meninos, ameaçando, falando coisas para elas e ninguém sabe se é por parte da família do João Paulo ou se são oportunistas querendo pressionar a família”, relatou.

Mais conteúdo sobre:

Teresina

Piauí

Facebook
Indicado para você
Veja também