Viagora

Equatorial Piauí vai recorrer de sentença sobre morte de homem em Madeiro

A empresa informou também que não era responsável pela distribuição de energia no Piauí, na época que ocorreu o acidente.

Após a empresa Equatorial Piauí, responsável pela distribuição de energia no estado, ser condenada a pagar R$ 300 mil, de indenização pela morte de um homem na cidade de Madeiro, no Norte do Piauí, em 2015, na qual a vítima colidiu com fios de alta tensão instalados de forma inadequada em um poste de madeira, a empresa emitiu uma nota sobre o caso.

De acordo com a Equatorial, a empresa já tomou conhecimento da sentença, e ressalta que na época do acidente a empresa ainda não era a responsável. “A Equatorial Piauí informa que tomou conhecimento da sentença proferida no processo acerca de um acidente fatal envolvendo a rede elétrica, ocorrido no município de Madeiro, em 2015, período em que a Equatorial não era responsável pela distribuição de energia no Piauí”, informa.

Ainda segundo a Equatorial, o acidente ocorreu devido às gambiarras. “O acidente ocorreu devido a instalações irregulares de rede elétrica (gambiarras), o que provoca situação insegura e prejuízos no fornecimento de energia”, informa.

Na nota, a empresa deixa claro, que vai adotar as vias recusáveis ao caso. Confira a nota na íntegra:

Nota de Esclarecimento

A Equatorial Piauí informa que tomou conhecimento da sentença proferida no processo acerca de um acidente fatal envolvendo a rede elétrica, ocorrido no município de Madeiro, em 2015, período em que a Equatorial não era responsável pela distribuição de energia no Piauí.

A Equatorial ressalta que o acidente ocorreu devido a instalações irregulares de rede elétrica (gambiarras), o que provoca situação insegura e prejuízos no fornecimento de energia. Para coibir a prática, a Distribuidora realiza fiscalizações periódicas e a regularização de áreas, legalizadas pelas prefeituras municipais, dentro do plano de universalização da empresa.

Sobre a sentença, a concessionária informa que vai adotar as vias recursais cabíveis.

Mais conteúdo sobre:

Equatorial Piauí

TJPI

Condenação

Facebook
Indicado para você
Veja também