Polícia

Bebê venezuelano morre com suspeita de maus-tratos no bairro Buenos Aires

De acordo com informações da Polícia Militar, o caso aconteceu na tarde desta sexta-feira (12), na zona Norte de Teresina.
12/11/2021 17h10

Na tarde desta sexta-feira (12), um bebê venezuelano da etnia Warao morreu por suspeitas de maus tratos na zona Norte de Teresina. A criança estava entre os indígenas acolhidos no CSU (Centro Social Urbano) do bairro e chegou a ser levada para o Hospital do Buenos Aires, mas não resisitiu.

Segundo informações repassadas ao Viagora pelo tenente do 9º Batalhão da Polícia Militar, Valcimar Brito, a guarnição foi acionada para atender a ocorrência devido os hematomas encontrados no corpo da criança de cerca de oito meses que pode estar relacionado a causa da morte.

“Fomos acionados para atender essa ocorrência porque de acordo com o médico que tratou da criança foi informado que ela tinha hematomas no corpo e estão suspeitando que esses hematomas podem estar relacionado a causa da morte da criança”, afirmou o tenente.

Ainda segundo o tenente, a criança deu entrada no hospital por volta de 10h:45 e veio a óbito ás 13h:00. A mãe da criança e a avó foram encaminhadas a Central de Flagrantes para passar por procedimentos necessários ao caso.

“A criança deu entrada no hospital por volta de 10h:45, mas nós só fomos informados que ela veio a óbito a 13h:00. Nós estamos levando a mãe e a avó, que levaram a criança ao hospital, elas estão sendo levadas para a Central de Flagrantes para que os procedimentos sejam feitos pela autoridade competente”, explicou Valcimar.

O tenente da polícia afirmou que o corpo da criança segue para o Instituto Médico Legal (IML) onde deve passar por exames para averiguar a causa da morte. O Conselho Tutelar também foi acionado para averiguar o caso.

“De acordo com a prescrição médica da criança o corpo vai ser encaminhado para o IML para que seja feitos os exames pelo médico legista e averiguar a causa da morte da criança.”, finalizou o PM.

A Polícia Civil vai investigar o caso.

Mais na Web