Polícia

Corpo de juíza morta pelo ex-marido será cremado neste sábado

O autor do crime foi preso em flagrante logo após o crime. A juíza Monique Brandão, do TJ-RJ, converteu a prisão do engenheiro em preventiva, na tarde dessa sexta-feira (25).
26/12/2020 11h30 - atualizado

A juíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, de 45 anos, foi assassinada a facadas, pelo ex-marido, na tarde da última quinta-feira (24), véspera de natal, na frente das filhas.

De acordo com a polícia, a juíza saiu de Niterói, onde morava, para deixar as três filhas com o pai na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, quando foi assassinada no meio da rua.

O corpo de Viviane será cremado neste sábado (26), no Crematório e Cemitério da Penitência, no bairro do Caju, zona Portuária do Rio de Janeiro.

  • Foto: Arquivo PessoalJuíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Viviane Vieira do Amaral Arronenzi.Juíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Viviane Vieira do Amaral Arronenzi.

Segundo a polícia, o ex-marido de Viviane, o engenheiro Paulo José Arronenzi, foi preso em flagrante logo após o crime. A juíza Monique Brandão, do TJ-RJ, converteu a prisão do engenheiro em preventiva, na tarde dessa sexta-feira (25).

A faca usada pelo engenheiro no crime não foi localizada, mas no carro do acusado, foram apreendidas outras três facas. A suspeita é de que o crime foi premeditado. 

As investigações apontam ainda que, em setembro deste ano, ele já havia agredido a ex-mulher e foi enquadrado na Lei Maria da Penha. Desde então, a juíza passou a ser escoltada, mas abriu mão da proteção há menos de dois meses, a pedido de uma das filhas.

O Tribunal de Justiça e o Ministério Público do Rio de Janeiro, lamentaram o assassinato. 

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) também publicou uma nota de pesar pela morte de Viviane. O órgão lembra que a juíza integrava a Magistratura do Estado, havia 15 anos, com passagem pela 16ª Vara de Fazenda Pública, e atuava atualmente na 24ª Vara Cível da Capital.

Mais na Web