Viagora

Greve dos ônibus: lojistas do Centro de Teresina reclamam de queda nas vendas

Os comerciantes do Shopping da Cidade, relataram a queda no faturamento devido a falta de transporte coletivo.

  • Luis Marcos/ Viagora Movimentação no shopping da cidade 1 / 10 Movimentação no shopping da cidade
  • Luis Marcos/ Viagora Ana Cristina/ Comerciante 2 / 10 Ana Cristina/ Comerciante
  • Luis Marcos/ Viagora Movimentação no shopping da cidade 3 / 10 Movimentação no shopping da cidade
  • Luis Marcos/ Viagora Movimentação no shopping da cidade 4 / 10 Movimentação no shopping da cidade
  • Luis Marcos/ Viagora Vanessa Pereira/ Viagora 5 / 10 Vanessa Pereira/ Viagora
  • Luis Marcos/ Viagora Movimentação no shopping da cidade 6 / 10 Movimentação no shopping da cidade
  • Luis Marcos/ Viagora Movimentação no shopping da cidade 7 / 10 Movimentação no shopping da cidade
  • Luis Marcos/ Viagora Movimentação no shopping da cidade 8 / 10 Movimentação no shopping da cidade
  • Luis Marcos/ Viagora Movimentação no shopping da cidade 9 / 10 Movimentação no shopping da cidade
  • Luis Marcos/ Viagora Movimentação no shopping da cidade 10 / 10 Movimentação no shopping da cidade

Nesta quinta-feira (07), a população de Teresina enfrenta o 18º dia de greve de motoristas e cobradores de ônibus. Com a falta de transporte, as pessoas deixam de circular pela cidade e o comércio está sentindo o impacto, com a redução do movimento de clientes e baixas nas vendas no centro da capital.

A equipe do Viagora foi ao Shopping da Cidade e conversou com alguns comerciantes que relataram que o movimento despencou e compararam a situação ao período de isolamento social.

Para a vendedora de castanhas, doces e cachaça, Vanessa Pereira, o faturamento caiu bastante e ela estava vendo uma melhora do movimento com a flexibilização, mas que com a greve o movimento diminuiu.

“Trabalho há 10 anos aqui, as vendas diminuíram, não tem como não diminuir não, um absurdo né, mas a gente tá aí na luta, mas que diminuiu, diminuiu bastante. Várias pessoas compram coisas pequenas, sempre tá saindo mercadoria porque o pessoal tá viajando pra a semana santa, aquela coisa toda, tem gente que tá indo e outros voltando, mas a população em si daqui mesmo caiu muito as vendas. Situação parecida aconteceu na pandemia, que a venda também diminuiu, mas agora já estava melhorando, os casos baixando e tudo, mas aí veio a greve e sempre afeta o comercio”, afirmou.

Outro permissionário que relatou a queda das vendas foi o Maicon Alves, ele afirmou “Essa greve afetou demais, principalmente, pra nós aqui afetou demais. Teve uma queda aproximadamente de 40% a 50% porque complicado né, o pessoal sem ônibus, ficou muito dificultoso porque tem os ligeirinhos também, mas eles cobram 8 reais, 7 R$, aí a pessoa vem pro centro mesmo só em caso de muita precisão, porque é o jeito vir, mas nem todo mundo quer vir porque sem os ônibus. Complica para gente, prejudica bastante.Nesses treze anos eu não passei por algo parecido, teve a questão da pandemia, mas a gente se virava nos deliveres, mas nessa parte que nós tamo aqui, comercio funcionando desse detalhe de greve aí foi a primeira vez", relatou.

Por Anna Paula Couto


 

Mais conteúdo sobre:

Teresina

Piauí

Setut

Facebook
Indicado para você
Veja também