Viagora

Proposta para construção de casas aos desabrigados em Teresina é apresentada

Serão investidos cerca de R$ 50 milhões de reais para serem construídas 390 moradias destinadas a famílias desabrigadas pelas chuvas.

A Prefeitura Municipal de Teresina (PMT) informou que apresentou nessa semana para o governo federal a proposta Programa Pró-Moradia que tem como objetivo a construção de cerca de 300 casa para famílias que ficaram desabrigadas por causa da chuva na capital em 2022.

De acordo com informações da PMT, o projeto apresentado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), propõe que as casas sejam construídas em dois terrenos municipais.

Foto: Divulgação/PMTReunião com o Ministério do Desenvolvimento Rural
Reunião com o Ministério do Desenvolvimento Rural

O secretário da SEMDUH, Edmilson Ferreira, afirma que o projeto é uma alternativa para solucionar o problema das famílias desabrigadas. “Esse programa do Governo Federal constrói lotes de 300 casas. Já enviamos a proposta e, caso seja aceita, é a melhor alternativa para resolver a situação dessas famílias que ficaram sem casa em virtude das chuvas. Além dessas 300 moradias, a Prefeitura busca recursos para construir ao menos mais 90”, disse o gestor.

De acordo com a SEMDUH, serão investidos cerca de R$ 50 milhões de reais para serem construídas 390 moradias. Ainda de acordo com o órgão, o Ministério do Desenvolvimento Rural enviará uma resposta sobre o projeto até o início do próximo semestre, e caso a proposta não for aceita pelo ministério, a prefeitura de Teresina tentará outras alternativas de amparo a essas famílias.

Conforme a prefeitura cerca de 770 famílias foram atendidas pela PMT durante o período chuvoso devido a alagamentos em suas residências. Atualmente 28 delas estão abrigadas em escolas municipais as demais foram encaminhadas para o Programa Cidade Solidária.

De acordo com a PMT, com o retorno das aulas presenciais as famílias abrigadas nas escolas serão remanejadas até o dia 23 de maio. O secretario informa que a prefeitura busca um imóvel para essa finalidade. “A ideia é encontrar um prédio que possa recebê-las até que as moradias definitivas sejam construídas”, acrescenta o secretário.

De acordo com o secretário da SEMDUH, as casas que estão de em condições de serem recuperadas serão devolvidas as famílias após reforma realizada pela prefeitura. “Sabemos que muitas casas foram totalmente destruídas, tomadas pela água e sabemos também que muitas estão em áreas de risco. Essas não serão reformadas, pelo contrário. Casas abaixo da cota de inundação devem ser demolidas para evitar que as famílias voltem. Por outro lado, estimamos que cerca de 200 imóveis estarão seguros após a reforma. Esses, sim, serão recuperados e devolvidos”,  informa.

Facebook
Indicado para você
Veja também