Viagora

"Os cortes atingem o que temos de básico funcionando", diz reitor da UFPI

O reitor professor Gildásio Guedes Fernandes, falou sobre o corte de orçamento nas universidades.

O Governo Federal anunciou, no último mês, um bloqueio orçamentário equivalente a 14,5% para as Universidades Federais. No Piauí, este mesmo valor corresponde ao montante de R$15.523,717,00 destinado ao custeio de gastos com água, energia elétrica, bolsas de assistência estudantil, entre outros.

Em nota, a Administração Superior informou que estaria adotando estratégias para garantir as atividades essenciais. “A Administração Superior está adotando estratégias para garantir as atividades essenciais até a liberação do valor bloqueado, mas preocupa-se com a magnitude da quantia em questão e, caso permaneça o citado bloqueio até o mês de setembro, enfrentará dificuldades para honrar compromissos contratuais.”, informou a instituição.

Foto: Isadora Cavalcante/ ViagoraReitor da UFPI, Gildásio Guedes.
Reitor da UFPI, Gildásio Guedes.

Ao Viagora, o reitor da Universidade Federal do Piauí, Gildásio Guedes Fernandes, falou sobre o assunto e as medidas tomadas pela administração.

“Nós estamos tentando sensibilizar a comunidade naquilo que for preciso, porque estes cortes terminam atingindo o que temos de básico funcionando: os laboratórios, as salas de aula, suprimentos de energia e esgoto. Então é uma dificuldade que estamos enfrentando e temos que ter muito cuidado para a gente não seguir já rapidamente como já está acontecendo com outras universidades limitando o uso da energia em alguns momentos.”, informou o reitor.

Ainda sobre o assunto, o professor Gildásio pede um trabalho de conscientização da comunidade estudantil. “Então é uma situação que pede muito cuidado, muito cuidado. Esperamos sair dessa situação e acredito que se a gente não tiver esse trabalho de conscientização teremos que suspender algumas atividades.”, finaliza o reitor.

Facebook
Indicado para você
Veja também