Viagora

Aeroporto de Teresina faz alerta sobre risco de acidentes com pipas

De acordo com a empresa que administra o local, as pipas podem causar interferências e até acabarem dentro dos motores das aeronaves, causando assim um acidente.

O Aeroporto de Teresina, faz alerta sobre riscos de acidentes causados por pipas nas regiões próximas as pistas dos aviões e espaço aéreo.

De acordo com o Luís Spanner, responsável pela Segurança Operacional da CCR Aeroportos, as pipas podem causar interferências e até acabarem dentro dos motores das aeronaves, causando assim um acidente. "As pipas podem causar interferências nos voos pelo risco de serem absorvidas pelo motor da aeronave ou enroscar na hélice dos helicópteros. Também podem danificar algum componente essencial desses equipamentos. O momento de maior risco ocorre durante os procedimentos de pouso e decolagem", explica.

Ainda de acordo com Luís Spanner, a queda de pipas dentro da área dos aeroportos pode ocasionar na entrada de crianças em regiões protegidas acontecendo assim algum incidente. “A tentativa de entrada em áreas protegidas das pistas dos aeroportos pode gerar uma série de ocorrências, entre elas, incidentes como arremetidas de aeronaves durante processo de pouso e atrasos nas operações de decolagem”, ressalta.

 A administradora CCR Aeroportos possui a concessão dos aeroportos de Minas Gerais (Pampulha), Santa Catarina (Navegantes), Goiás (Goiânia), Piauí (Teresina) e Maranhão (São Luís). Segundo dados da empresa, cerca de 48% das ocorrências envolvendo pipas, afetam as operações na pista de pouso e decolagem. O responsável pela Segurança Operacional da empresa, afirma que o domingo, é o dia que mais possui ocorrências. “Nos aeroportos administrados pela CCR, observou-se que 48% das ocorrências com pipas afetam as operações da pista de pouso e decolagem, com a queda ou sobrevoo de pipas nos aeródromos. Também detectamos que o dia da semana em que mais ocorrem eventos com pipas é no domingo, principalmente no período da tarde, entre 14 e 18h”, destaca Luís Spanner.

Ainda segundo a empresa, em Teresina, foram registradas três ocorrências com pipas, registradas nas vias de serviço da área operacional do aeroporto, causando impactos nas operações.

Conforme o Código Penal, Art. 261, expor a perigo aeronave ou praticar qualquer ato que possa impedir ou dificultar a navegação aérea é crime, com pena de dois a cinco anos de prisão.

Facebook
Indicado para você
Veja também