Viagora

PRF-PI apreende madeira que daria para cobrir mais de 300 casas

A madeira apreendida seria suficiente para fazer a cobertura de 320 casas populares, pelo menos 20 pessoas foram detidas.

A Polícia Rodoviária Federal divulgou, na manhã desta terça-feira (12), os dados finais da “Operação Caroá”, realizada em conjunto com o Ibama e a Secretaria de Meio Ambiente no combate a crimes ambientais flagrados em rodovias piauienses.

A operação ocorreu no período de dez dias, entre 29 de outubro e 07 de novembro mobilizando 31 agentes que atuaram simultaneamente em diversos municípios do Sul do estado. O objetivo principal foi o combate ao transporte e comercialização ilegal de madeira, visando os carregamentos que não possuem licença ambiental válida.

  • Foto: Divulgação/PRFCarga de madeira apreendida.Carga de madeira apreendida.

De acordo com os dados da PRF, foram apreendidos 492,0 m³ de madeira, o que seria suficiente para fazer a cobertura de 320 residências populares. Pelo menos 20 pessoas foram detidas por estarem apresentando documentação ambiental falsa e 18 ocorrências registradas.

O superintendente Stênio Pires afirma que a maior parte da madeira apreendida não foi extraída no Piauí, mas os infratores optam por utilizar as rodovias do sul piauiense pela fragilidade da fiscalização nessa região.

  • Foto: Nathalia Carvalho/ViagoraStênio Pires, San Martins Linhare e Sádia Gonçalves de Castro.Stênio Pires, San Martins Linhare e Sádia Gonçalves de Castro.

“Por não existir estação forte para extração de madeira no Piauí, os carregamentos não foram extraídos aqui no estado, a principal origem é o estado do Pará. Hoje as nossas rodovias são utilizadas como rota das madeiras que são extraídas na região Norte e encaminhadas para outras regiões. Existem vários fatores para que eles optem por nossas estradas, no sul piauiense há uma fiscalização mais frágil porque não tem unidades operacionais da PRF nessa região”, explica.

A operação também contou com o apoio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, a representante da Semar, Sádia Gonçalves de Castro, avalia a parceria como uma potencialização no combate a esses crimes ambientais.

  • Foto: Hélio Alef/GP1Sádia Gonçalves de Castro, Semar.Sádia Gonçalves de Castro, Semar.

“É muito importante essa integração entre os órgãos controle e fiscalização e a gestão ambiental porque a parceria reforça especialmente nesse combate ao transporte de madeira ilegal”, complementa.

Parte da madeira apreendida é encaminhada para a Semar e outra parte fica a cargo do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente. “Nosso estado é o que mais realiza apreensão de madeira no país. Dentro do Ibama existem critérios para a destinação dessa madeira, há uma comissão que avalia quais são as entidades que estão aptas documentalmente para poder receber essa madeira apreendida”, esclarece o superintendente San Martins Linhare.

A Polícia Rodoviária investiga agora, se as apreensões têm ligação com alguma empresa, os detidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil para adoção das medidas cabíveis.

Facebook
Indicado para você
Veja também