Viagora

"Fortalece o PT", declara Francisco Limma sobre novas filiações

O presidente estadual do PT no Piauí, Francisco Limma, falou também que a sigla deverá cobrar fidelidade aos novos filiados mesmo após o fim do período eleitoral.

O presidente estadual do PT no Piauí, deputado Francisco Limma, declarou nessa terça-feira (15), que com a vinda de novos parlamentares algumas pré-candidaturas deverão alinhar entendimento visando apoio cruzado, para que dessa forma nenhum parlamentar seja retirado das disputas.

Conforme o parlamentar, não há previsão de saída de nenhum correligionário ou militante do partido, contudo o PT precisará equacionar algumas pré-candidaturas para que um apoie o outro.

Foto: Luis Marcos/ ViagoraDeputado Francisco Limma
Deputado Francisco Limma

“Não, de forma concreta não, nós precisamos equacionar algumas pré-candidaturas, são poucas, duas ou três no máximo que estão buscando um entendimento cruzado, um apoiar o outro para que ninguém seja tirado, para ser fortalecido as outras candidaturas”, afirma o parlamentar.

Francisco Limma pontou que a motivação para o ingresso de parlamentares que vieram de diferentes siglas se deve ao apoio do projeto político que visa eleger Lula, Rafael Fonteles e Wellington Dias, fortalecendo assim o partido.

“O diretório entendeu que isso fortalece o partido, ter mais parlamentares e nós vamos nos organizar para termos a maior bancada na Assembleia Legislativa a partir de 2022”,

Anteriormente o PT do Piauí havia anunciado a aprovação de sete parlamentares que iriam se filiar ao partido em evento na Assembleia Legislativa, porém Fábio Xavier, Hélio Isaias, Nerinho e Wilson Martins recuaram o ato e decidiram esperar mais tempo para oficializar o destino partidário.

De acordo com Limma, a decisão dos outros deputados que decidiram se filiar posteriormente ocorreu devido uma disputa interna no PSB, pois alguns dirigentes e parlamentares tem pedido uma revisão para possibilidade de federação com o PT.

“Sim, o PSB está ainda em uma disputa interna, tem um grupo de dirigentes partidários e parlamentares solicitando a federação à direção do PSB que reveja a possibilidade de integração da federação e o governador Wilson ficou de ir a Brasília hoje e já ficou até pré-indicado que de fato não havendo essa possibilidade na próxima semana nós devemos filiar os outros parlamentares que tinham a pretensão de se filiar”, explica o presidente estadual do PT.

Além disso, o petista afirmou que a sigla deverá cobrar fidelidade aos novos filiados mesmo após o fim do período eleitoral, visto que a federação tem uma maior rigidez em suas regras.

“Eles têm que obrigatoriamente permanecer, a federação tem um estatuto muito mais rígido do que os partidos, aqueles que não seguirem as orientações eles também não podem sair do partido ou eles poderão inclusive ser afastados pela direção da federação”, pontua Francisco Limma.

Questionado sobre a situação da deputada Teresa Britto que atualmente ainda não decidiu se permanecerá no PV após a federação, Francisco Limma afirmou que em diálogo com a parlamentar ela teria confirmado que não sairá da sigla.

“É uma decisão pessoal, a conversa que eu tinha com a deputada Teresa Britto ela me informou e afirmou que não tem interesse em sair do PV e que está de acordo com a federação conforme o entendimento feito com a direção do seu partido, então essa é uma posição também da parlamentar, é claro que ela terá até o dia 01 ou 02 de abril para tomar uma decisão e nós estamos também dispostos a abraça-la, claro dentro de um compromisso com a federação, com o projeto da eleição do Lula e do Rafael Fonteles”, complementa.

Dessa forma, se a parlamentar seguir na base de apoio governista de Wellington Dias Teresa Britto deverá apoiar as pré-candidaturas do governador que deseja disputar o Senado Federal, Rafael Fonteles o governo e Lula para a presidência.

“Todos os parlamentares ou não parlamentares que se filiarem a um partido da federação terá que rigorosamente seguir ao apoio as candidaturas majoritárias da federação, Lula sendo candidato, apoio a Lula, Rafael como pré-candidato e Wellington também, isso é inegociável, irretratável, não abriremos mão, esse é um acordo e entendimento com todos os parlamentares”, ressalta.

Quanto ao pedido para realização de uma CPI dos Precatórios do FUNDEF, que inclusive foi assinada por Teresa Britto, o presidente estadual do PT informou que ainda não tratou sobre o assunto com a parlamentar.

“Eu não sei, ainda não conversei com ela, essa é uma questão que nós havíamos também tratado sobre isso e ela inclusive, flexibilizando a posição em algumas questões, mas eu não tratei com ela”, finaliza.

Facebook
Indicado para você
Veja também