Viagora

Vamos acionar a Justiça, diz Júnior Macêdo sobre assumir vaga na Câmara

O suplente disse nesta terça-feira (21), que a Câmara de Teresina está mantendo um vereador de forma irregular.

Na manhã desta terça-feira (21), o suplente Júnior Macedo informou que se caso não seja permitido ele tomar posse na Câmara de Teresina, ele irá judicializar o caso e segundo ele “buscar todas as instâncias”.

Segundo Júnior Macedo, ele não está fazendo nada que não é do seu direito. “Eu não estou fazendo nada que não é do meu direito que eu adquiri através do voto, através do povo”, diz.

Segundo ele, há dois meses atrás o documento que ele assinou, não falava de renúncia e ainda reclama de que agora está sendo impedido de assumir. “Há dois meses atrás, eu assinei um documento dizendo que eu estava passando por problemas pessoais e que naquele tempo eu não podia assumir. O momento hoje é outro, me sinto preparado e tenho o direito de assumir uma vaga nessa casa. Se a gente não conseguir tomar posse dentro das próximas 24 horas, o que está acontecendo é o rasgamento da constituição, rasgamento do regimento interno”, ressalta.

Foto: Matheus Santos/ ViagoraSuplente Junior Macedo
Suplente Junior Macedo

Ainda sobre o assunto Macedo explica: “Em momento algum existe a palavra renúncia no documento, em momento algum tem a palavra renúncia, em momento algum eu renunciei, e no momento em que eu assinei o documento isso foi falado ao presidente Jeová que não se tratava de uma renúncia, não sou um covarde, sou um jovem batalhador, lutador, consegui tudo na minha vida com muito suor, muito trabalho e muita determinação, e eu não sou um covarde de estar renunciando à suplência e ao mandato ou a qualquer coisa que seja”, explica.

Júnior Macedo ainda diz que acha a situação foi um “Erro de interpretação” do presidente da Câmara, Jeová Alencar. “Eu tenho uma grande consideração com o presidente Jeová, ele encaminha essa casa muito bem. Eu acho que teve um erro de interpretação por parte do presidente, sei que o José Lira é um aliado dele, mas nós não podemos usar a estrutura da Câmara para manter um vereador irregular nesta casa, regular sou eu. Sou o segundo suplente e estou na lei”, diz.

Questionado se irá judicializar o caso, Macedo afirma: “Se essa casa não der resposta hoje eu vou judicializar como omissão, e se essa casa der a resposta não permitindo a gente assumir a gente vai ver qual o motivo e nós vamos judicializar. Nós vamos buscar todas as instancias, eu estou lutando pelos meus direitos, e essa casa está mantendo um vereador irregular”, encerra.

Sobre o caso

Nessa segunda-feira, o suplente de vereador protocolou requerimento na Câmara Municipal de Teresina solicitando sua posse na Casa, no cargo de vereador com a vacância deixada por Renato Berger que assumiu uma secretaria na prefeitura.

Facebook
Indicado para você
Veja também