Viagora

Solidariedade quer autonomia, diz Evaldo Gomes sobre suplência

De acordo com o presidente do partido no Piauí, o diálogo para indicar um nome para a suplência de Wellington está acontecendo.

Nesta terça-feira (12), o deputado estadual e presidente do Solidariedade Evaldo Gomes, comentou sobre o diálogo do partido com a base governista a respeito da suplência do pré-candidato ao Senado Federal Wellington Dias (PT).

De acordo com o presidente do Solidariedade, o diálogo para indicar um nome para a suplência está acontecendo, ele aproveita também a ocasião para informar que o partido realizará uma convenção própria.

Foto: Matheus Santos/ ViagoraDeputado Evaldo Gomes
Deputado Evaldo Gomes

“Nós estamos dialogando, inclusive eu quero aqui dizer em primeira mão que talvez o Solidariedade não participe da convenção do dia 23, nós temos que fazer alguns entendimentos, estamos nesse exato momento buscando um diálogo com o governador Wellington Dias, não existe nenhum tipo de ruptura, mas a gente prefere fazer uma convenção diferenciada, diferente da do dia 23, para que a gente possa fazer alguns acertos, nós pertencemos a base, estamos com um time montado do Solidariedade com candidatos a estaduais, com candidatos a federais, nós só queremos autonomia, isonomia, por parte da base do governo”, informa.

Questionado se há algum prejuízo ao Solidariedade nos diálogos, o deputado afirma que não existe, mas que desejam ser comtemplados da mesma forma que outros partidos políticos da base governista. “Eu acho que não tem nenhum prejuízo, a gente não está aqui fazendo cavalo de batalha no sentido de que vamos ter participação ou não, o que nós queremos é abrir um diálogo, um entendimento com a base do governo, para que o Solidariedade seja comtemplado da mesma forma que os demais outros partidos”, disse.

Ainda de acordo com o deputado Evaldo Gomes, o partido quer mais autonomia e direitos de igualdade, e desejam que a escolha da indicação seja do diretório da executiva do Solidariedade.

“Talvez isso, eu acho que a gente agora, nesse momento, veja só, o PSD escolheu a esposa (Jussara Lima), do deputado Júlio César, nada contrário, é uma grande mulher, é uma referência do PSD, é uma referência da política do Piauí, mas nos estamos nos sentindo na obrigação de também ter o direito de fazer um a escolha vinda do diretório da executiva do partido, tá certo? Não tem nenhum tipo de briga, ruptura, agora, nós queremos ter o mesmo direito do PSD”, afirmou.

O parlamentar afirma que o Solidariedade compreende que há uma necessidade de um debate mais preciso da escolha do nome que vai integrar a chapa do pré-candidato ao senado Wellington Dias.

“Eu não estou discutindo nomes, eu acho que os nomes são excelentes, o Daniel Jackson é um companheiro valoroso, é um vereador de Parnaíba, é um vereador que tem dado a contribuição do fortalecimento e construção do nosso partido, mas a executiva estadual juntamente com os pré-candidatos compreende que há uma necessidade de um debate muito mais preciso da escolha do nome que irá compor a chapa majoritária do (ex) governador Wellington Dias para o Senado”, finalizou.

Facebook
Indicado para você
Veja também