Viagora

Varíola dos macacos: Anvisa emite recomendações sobre doação de sangue

Apesar de não existir confirmação científica sobre a transmissão da doença por meio do sangue, tecido, células, e órgãos, algumas medidas foram recomendadas de forma preventiva.

Foi divulgado nessa quarta-feira (20), pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), um alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a triagem de doadores de sangue em meio aos casos de varíola dos macacos (Monkeypox).

Conforme a Anivsa, a varíola dos macacos é uma doença causada por vírus e é transmitida com contato próximo com uma pessoa que esteja infectada e com lesões na pele. O contato pode ocorrer com um abraço, beijo, massagem, relações sexuais ou secreções respiratórias. Assim como por contato com objetos, tecidos e superfícies que foram utilizadas pelo infectado.

Ainda segundo a agência, apesar de não existir confirmação científica sobre a transmissão da doença por meio do sangue, tecido, células, e órgãos, algumas medidas foram recomendadas de forma preventiva.

De acordo com a recomendação, quem foi infectado não deve doar sangue até o desaparecimento dos sintomas e de lesões na pele, com uma restrição mínima de 21 dias após o início dos sintomas. Assim como pessoas que mantiveram contato com infectados não devem doar sangue até 21 dias após o contato. Essa preocupação também serve para contato com assintomáticos, pessoas que não apresentaram sintomas de febre e lesão da pele.

Conforme a Anivsa, para a Monkeypox não existe tratamento específico, porém, os casos clínicos costumam ser mais leves, mas requerem cuidado e observação das lesões. Pessoas imunossuprimidas com HIV/AIDS, Leucemia, linfoma, metástase, transplantados, pessoas com doenças autoimunes, gestantes, lactantes e crianças com menos de 8 anos de idade, possuem um maior risco de agravamento da doença.

Com informações da Agência Brasil

Facebook
Indicado para você
Veja também