Esportes

PF deflagra operação Havana para apurar fraudes no Bolsa Atleta

O Ministério do Espote sofreu com desvios estimados em R$ 810 mil.
GABRIEL SOARES
18/08/2017 11h47 - atualizado

A Polícia Federal iniciou a Operação Havana nesta sexta-feira (18), para investigar um esquema criminoso que envolvia a criação de atletas fantasmas nos sistemas do Ministério do Esporte com a finalidade de desviar recursos do programa Bolsa Atleta.

Em um ano, a quadrilha responsável pelo crime, conseguiu criar 25 atletas fantasmas, inclusive de nível olímpico. As fraudes teriam ocorrido no ano de 2012 e podem ter chegado R$ 810 mil e até mesmo ter superado R$ 1 milhão, segundo dados fornecidos pela Ministério do Esporte.

  • Foto: Divulgação/street viewPF investiga desvios no Ministério do Esporte.PF investiga desvios no Ministério do Esporte.

Os policiais federais cumprem seis mandados de busca e apreensão e seis mandados de condução coercitiva, determinados pela 10ª Vara da Justiça Federal no DF. O nome da operação se deve ao fato de que o líder e alguns membros da associação criminosa são brasileiros nascidos em Cuba.

O programa Bolsa Atleta existe desde 2005 e é fornecido a atletas de alto nível que obtêm bons resultados em competições nacionais e internacionais. O edital de inscrição para o programa neste ano prevê o pagamento de R$ 370 para as categorias atletas de base e estudantil; R$ 925 para a nacional; R$ 1.850 para a internacional e R$ 3100 para as categorias olímpica e paraolímpica.

Mais conteúdo sobre: