Política

Temer promete auxílio para crise no sistema prisional do Piauí

O presidente determinou que a Polícia Federal investigue os casos ocorridos nos últimos meses, que segundo a Secretaria de Justiça, ocorrem devido à presença do crime organizado nos presídios.
RAYANE TRAJANO
09/10/2017 17h51 - atualizado

O governador Wellington Dias (PT) foi até o presidente da república Michel Temer (PMDB) para pedir auxílio em relação à crise no sistema prisional que o Piauí enfrenta. A reunião com o presidente aconteceu na tarde desta segunda-feira (09), com o senador Ciro Nogueira (PP) e o secretário estadual de Justiça, Daniel Oliveira.

De acordo com o senador, “Temer sinalizou positivamente e destacou que o Ministério da Justiça vai determinar um auxílio nas duas frentes solicitadas”. O presidente determinou também que a Polícia Federal investigue os inúmeros fatos ilícitos que estão acontecendo no Piauí, que segundo a Secretaria de Justiça, ocorrem devido à presença do crime organizado nos presídios.

  • Foto: Marcos Corrêa/PRWellington Dias em reunião com TemerWellington Dias em reunião com Temer

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, deve enviar 100 integrantes da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP), para reforçar a segurança no sistema prisional do Piauí. O fato vai ser confirmado em audiência marcada para as 20h desta segunda-feira (09). 

Crise no sistema prisional

A superlotação no sistema penitenciário do Piauí não é uma situação nova, mas alguns fatos ocorridos nos últimos meses implantaram o caos e uma sensação de insegurança na sociedade.

Com a greve dos agentes penitenciários, iniciada em 11 de setembro, a Secretaria de Justiça tentou gerir o problema levando forças militares para as unidades prisionais, foi a Operação Habitar. O secretário Daniel Oliveira chegou a declarar que estava tentando controlar “uma rebelião de agentes penitenciários” e garantiu que iria pedir à Justiça que os agentes pagassem os estragos causados pelas rebeliões de presos durante a greve.

A greve foi suspensa no dia 26 de setembro, depois de um acordo com o Governo do Estado, intermediado pelo Tribunal de Justiça.

O caso do garoto de 13 anos encontrado dormindo com um detento acusado de estupro na Colônio Agrícola Major César Oliveira, reacendeu a discussão sobre a falha de segurança dentro de penitenciárias do estado. O fato teve repercussão nacional e levou a Sejus a afastar 12 agentes penitenciários

No último final de semana 85 detentos fugiram da penitenciária de Esperantina, em duas rebeliões realizadas na sexta-feira (06) e no domingo (08). Até a tarde de hoje (09), 34 deles haviam sido recapturados.

A prefeita de Esperantina, Vilma Amorim, decidiu suspender alguns serviços na cidade, devido ao medo dos moradores. A Polícia Militar informou que enviou 70 homens para reforçar o policiamento na região e trabalhar na recaptura dos fugitivos.