Saúde

Após queda nas vendas, Mercado do Peixe de Teresina tenta atrair clientes

De acordo com os permissionários, as vendas caíram por volta de 75% e alguns peixes como o tambaqui tiveram uma redução de 90%.
28/09/2021 07h49 - atualizado

Mercado Do Peixe

No último final de semana, sábado (25) e domingo (26), o Mercado do Peixe, localizado na zona Leste de Teresina voltou a registrar aumento no movimento de clientes, após festival gastronômico realizado na sexta (24).

De acordo com o administrador do local, Francisco Macedo, o Festival do Peixe tinha o intuito de alavancar as vendas que tinham caído nas últimas semanas por conta das notícias sobre a doença de Haff ou doença da urina preta.

Em entrevista para o Viagora, Francisco revelou que o festival contou com mais de mil pessoas e que irão realizar novos festivais no futuro.

“A gente fez essa manifestação com os permissionários, porque a população estava acreditando nessas fake news, mas futuramente vamos continuar fazendo eventos para atrair os clientes para virem ao mercado do peixe.”, disse o administrador.

De acordo com informações dos permissionários, as vendas caíram por volta de 75% e alguns peixes como o tambaqui tiveram uma redução de 90%.

Um dos permissionários do Mercado do Peixe, Carlos Alberto, revelou que o Festival do Peixe ajudou na conscientização da população.

“O festival ajudou a divulgar e mostrar para a população que não há contaminação dos peixes, porque nós permissionários, criadores e empresários do ramo do pescado, tanto vendemos como nos alimentamos dele.”, explica Carlos.

Na última terça-feira (21), a Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI) publicou uma nota enfatizando que o estado do Piauí não possuí nenhum caso suspeito ou confirmado da doença de Haff, que causa dores musculares, insuficiência renal e provoca uma urina com coloração escura.

Governador do Piauí sobre o assunto

Já na última sexta-feira (24), o governador do Piauí, Wellington Dias, se manifestou por meio de suas redes sociais reforçando as informações a respeito da doença e recomendou que a população não deixe de consumir o alimento.

Mais na Web