Geral

Governo anuncia Plano Nacional de vacinação contra a Covid-19

De acordo com o ministro da Saúde, ficará a cargo dos governadores o repasse das vacinas aos municípios de seus estados.
16/12/2020 12h22 - atualizado

Nesta quarta-feira (16), o Governo Federal anunciou detalhes do plano nacional de vacinação contra a Covid-19. Ao todo, o Governo vai comprar 330 milhões de seringas e agulhas para a vacinação.

Segundo o ministro de Saúde, Eduardo Pazuello, há muita desinformação quando se fala da pandemia. Ainda de acordo com o ministro, ficará a cargo dos governadores o repasse das vacinas aos municípios de seus estados. Pazuello afirmou também que os estados serão tratados de forma igualitária e que todas as vacinas produzidas pelo Brasil terão prioridade no SUS.

"Senhores, vamos nos orgulhar de nossa capacidade. Ela não foi feita por mim. Ela já está lá. Foram nossos antecessores que criaram o SUS, que criaram o plano nacional de imunização. O povo brasileiro tem capacidade de ter o maior plano de imunização do mundo."

Pazuello afirmou que não vê nada de errado nas medidas do governo em relação ao combate à pandemia. "Se tivesse visto, já teria corrigido."

Grupos Prioritários

Na terça-feira (15), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, respondeu que o ministério tem condições de iniciar a distribuição de vacinas cinco dias após a aprovação da Anvisa.

Outro trecho esclarecido pelo ministério é a duração das campanhas de vacinação para os grupos prioritários, que serão quatro.

A expectativa é imunizar cerca de 51 milhões de pessoas no período de quatro meses.

"O Ministério da Saúde estima que no período de doze meses concluirá a vacinação da população em geral, o que dependerá, concomitantemente, do quantitativo de imunobiológico disponibilizado para uso, completando-se o plano de vacinação em um total de aproximadamente dezesseis meses."

Ainda de acordo com o ministério, qualquer plano só será concretizado após aprovação de uma vacina, seja pelo registro sanitário ou autorização de uso emergencial, pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Mais na Web