Polícia

Justiça condena ex-procurador Emir Martins a 51 anos de prisão

Segundo o MPPI, ele é acusado pelos crimes de lavagem de dinheiro, peculato, falsificação de documento público e inserção de dados falsos em sistema de informações.
03/02/2021 10h36 - atualizado

O ex-procurador-geral de Justiça Emir Martins Filho, foi condenado a 51 anos de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro, peculato, falsificação de documento público e inserção de dados falsos em sistema de informações, durante sua gestão à frente do Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI).

  • Foto: Divulgação/FacebookEx-procurador-geral de Justiça Emir Martins Filho.Ex-procurador-geral de Justiça Emir Martins Filho.

Também foram condenados Tiago Saunders Martins, filho do ex-procurador, e José Ribamar de Sena Rosa, responsável pela folha de pagamento do Ministério Público na época dos fatos.

A decisão judicial acatou a denúncia oferecida pelo Ministério Público que, após investigação constatou diversas irregularidades praticadas por Emir Martins entre os anos de 2004 e 2008, quando exerceu o cargo de procurador-geral de Justiça no MPPI. A sentença foi proferida nessa segunda-feira (01) pelo juiz Antônio Lopes de Oliveira.

De acordo com o Ministério Público, o filho de Emir, Tiago Saunders, recebia valores vultosos durante a gestão do pai, por intermédio de laranjas inseridos na folha de pagamento. Ele foi condenado a 21 anos de prisão.

O MPPI estipula que parentes e pessoas ligadas a Emir Martins, incluindo sua ex-esposa, receberam ilicitamente durante sua gestão pelo menos R$ 1.676.994,45 (um milhão, seiscentos e setenta e seis mil, novecentos e noventa e quatro reais e quarenta e cinco centavos).

Mais na Web