Polícia

Polícia Civil leva testemunhas ao local da morte de Firmino Filho

Conforme a polícia, todas as precauções estão sendo tomadas para que ao final do inquérito, não haja nenhum tipo de dúvidas.
12/04/2021 17h17 - atualizado

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) segue com as investigações a respeito da morte do ex-prefeito Firmino Filho, na última terça-feira (06).

A polícia realizou nesta segunda-feira (12), uma reprodução simulada dos fatos, a chamada reconstituição, que tem como objetivo esclarecer a dinâmica do caso.

  • Foto: DivulgaçãoImagens das câmeras de segurança do prédio onde Firmino foi encontrado morto.Imagens das câmeras de segurança do prédio onde Firmino foi encontrado morto.

Na reprodução em questão, não houve um ator substituindo o ex-prefeito, entretanto, a polícia optou por levar as pessoas que prestaram depoimento e que estavam no prédio quando Firmino morreu, para que elas pudessem mostrar onde estavam quando o acidente aconteceu.

Conforme a polícia, todas as precauções estão sendo tomadas para que ao final do inquérito, não haja nenhum tipo de dúvidas para se especular a natureza do acidente.  

Na sexta-feira (09), o DHPP já havia ouvido sete pessoas,  dentre elas, familiares, funcionários do prédio e servidores do Tribunal de Contas da União no Piauí (TCU), e o auxiliar de serviços gerais que viu Firmino pela última vez.

Na tarde de sábado (11), a deputada Lucy Soares também prestou depoimento, que teve início por volta das 16:30h seguindo por seis horas.

Segundo informações da polícia, o Instituto de Medicina Legal (IML), continua trabalhando na confecção do laudo de exame cadavérico. O IML tem o prazo legal de 10 dias para entregar os laudos, que se encerra nesta sexta-feira (16).

Mais na Web