Piauí

Seccionais da OAB repudiam discriminações contra o Nordeste

A nota diz que a democracia vive um momento “delicado” e pede união entre os brasileiros. O posicionamento é em relação às críticas contra a região que mais votou no candidato Fernando Haddad (PT).
VITOR FERNANDES
DE TERESINA
09/10/2018 17h30 - atualizado

Os presidentes de todas as seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil no Nordeste assinaram nota de repúdio às manifestações discriminatórias com o povo dessa região após o resultado do primeiro turno das eleições presidenciais. A nota, também assinada pelo representante no Piauí, Chico Lucas, diz que a democracia vive um momento “delicado” e pede união entre os brasileiros.

No último domingo ficou decidido que os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) disputarão o segundo turno no próximo 28 de outubro. No início da apuração, Bolsonaro mostrava-se com grande diferença em relação aos demais candidatos. Com a contagem dos votos do Nordeste, Haddad conseguiu uma aproximação maior ao primeiro colocado e fez com que a decisão fosse adiada. A partir daí, muitos eleitores, especialmente do Sul e Sudeste, começaram a fazer publicações depreciativas ao povo da região, onde oito dos nove estados apresentaram liderança do candidato do PT.

As seccionais da OAB do Nordeste ressaltam que as manifestações políticas devem sempre respeitar os princípios e valores fundamentais da ordem republicana, notadamente a tolerância, a dignidade da pessoa humana e o objetivo comum de construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

“É crucial, portanto, que o salutar confronto de ideias neste período eleitoral não descambe no discurso de ódio e em manifestações discriminatórias, as quais, por sua natureza, violam o princípio democrático. O crime de racismo, declarado inafiançável e imprescritível pelo Constituinte originário, deve ser repudiado e combatido por todos os cidadãos brasileiros, independentemente de suas convicções políticas e das correntes ideológicas que abracem”, diz a nota.

“O delicado momento vivido por nossa jovem democracia exige de todos o empenho por manter a união do povo brasileiro em toda a sua diversidade, não apenas de raça, sexo e cor, mas também de origem. Os representantes da advocacia nordestina manifestam, pois, seu permanente e intransigente compromisso com os valores democráticos e com o combate a todas as formas de racismo e de discriminação”, conclui o texto.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web