Viagora

Padre Tony Batista é o novo imortal da Academia Piauiense de Letras

O religioso agora ocupa a 22ª cadeira do órgão, que pertenceu ao desembargador Nildomar Silva

Na sexta-feira (01), o Padre Tony Batista, Vigário Geral da Arquidiocese de Teresina e diretor da Ação Social Arquidiocesana (ASA), tomou posse como membro efetivo da Academia Piauiense de Letras (APL). O diploma foi entregue ao religioso pelas mãos do presidente da Academia, Zózimo Tavares, e do arcebispo de Teresina, Dom Jacinto.

Foto: Divulgação/Padre Tony Batista é o novo imortal da Academia Piauiense de Letras
Padre Tony Batista é o novo imortal da Academia Piauiense de Letras

De acordo com a APL, participaram da solenidade familiares, amigos e acadêmico a da APL no auditório Dom Avelar Brandão Vilela, na zona leste de Teresina. O religioso agora ocupa a 22ª cadeira do órgão, que pertenceu ao desembargador Nildomar Silva, importante intelectual e autor de vários livros na área do Direito, que morreu de complicações da Covid-19 em agosto de 2021.

O sacerdote, que possui especialização em Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica de Santiago (Chile), destacou: “Não estou aqui por linhagem familiar, nem pelo volume de obras publicadas, pelo conhecimento tão profundo da literatura ou por merecimento. Estou aqui pela Graça de Deus que certamente sonda o invisível e que, na minha insignificância, tomou partido. Nós no mundo inteiro estamos doentes e precisamos de esperança. E se somos homens e mulheres da escrita, da cultura e da fala também temos responsabilidade de levar esperança e provocar a alegria. Me sinto muito feliz por poder contribuir” afirmou.

De acordo com o presidente da Associação Piauiense de Letras (APL), o jornalista e escritor Zózimo Tavares, ele acompanhou o religioso no início da trajetória na capital até se tornar uma das grandes lideranças religiosas no Piauí.

“Quando me iniciei no jornalismo, em 1980, ele despontava como um dos novos valores da Igreja Católica aqui em Teresina. Muito jovem, havia chegado há pouco tempo de Salvador e se fazia notar pelo seu estilo mais despojado, pela palavra fácil, pela sensibilidade pastoral e pela profundidade de sua pregação. Os anos se passaram e é perceptível que ele ajudou estender a mão da Igreja para alcançar os pobres e excluídos, na partilha da solidariedade e na semeadora da esperança”, disse.

A Academia Piauiense de Letras (APL)

A Academia Piauiense de Letras é o órgão máximo das letras no Piauí. Fundada em 30 de dezembro de 1917, em Teresina, por um grupo de intelectuais que percebeu a necessidade da defesa da educação e da cultura no estado no início do século 20, a APL, até os dias mais atuais, tem sido referência no cenário cultural piauiense por reunir representantes de diferentes áreas de atuação.

Por Anna Paula Couto

Facebook
Indicado para você
Veja também