Viagora

Promotor quer que ex-prefeito Raislan Farias devolva R$ 6 milhões

De acordo com o Ministério Público do Piauí, a Operação Ibi Clausus resultou no oferecimento de três denúncias.

A Promotoria de Justiça de Barro Duro, através do promotor Ari Martins, ajuizou três ações de improbidade administrativa em face do ex-prefeito de Passagem Franca do Piauí, Raislan Farias dos Santos, e mais 17 pessoas investigadas durante a Operação “Ibi Clausus”.

O Ministério Público do Piauí (MPPI) requer que os processados sejam condenados a ressarcir o erário em mais de R$ 6 milhões.

Segundo o MPPI, a Operação “Ibi Clausus” foi deflagrada em outubro de 2020, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPPI) e a Promotoria de Justiça de Barro Duro, na cidade de Passagem Franca do Piauí, por crimes contra a administração pública municipal praticados por organização criminosa chefiada localmente pelo ex-gestor.

De acordo com o órgão ministerial, a operação resultou no oferecimento de três denúncias criminais: as penas dos crimes imputados aos envolvidos, somadas, ultrapassam 100 anos de reclusão. O MPPI requereu a prisão preventiva do ex-prefeito, mas o Poder Judiciário local indeferiu o pedido. A Promotoria de Justiça, então, interpôs recurso junto ao Tribunal de Justiça, o qual ainda está pendente de Julgamento.

Conforme o MPPI, as ações de improbidade visam à proteção e à recomposição do patrimônio público. Além do ressarcimento ao erário, o MP requer a suspensão de direitos políticos dos processados, aplicação de multa civil, proibição de contratar com poder público, além de diversas outras sanções.

Outro lado

O Viagora procurou o ex-gestor para falar sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria ele não foi localizado. O espaço permanece aberto para esclarecimentos.

Facebook
Indicado para você
Veja também