Viagora

Ministério Público expede recomendação ao prefeito de Bom Jesus

A orientação expedida pela 2ª Promotoria de Justiça tem como objetivo fazer cumprir o caráter concorrencial e a impessoalidade no processo de escolha de empresa privada.

A  2ª Promotoria de Justiça de Bom Jesus, expediu recomendação, no último dia 29 de junho, ao prefeito Nestor Renato Pinheiro Elvas para que o gestor promova uma série de ações de resguardo à publicidade dos atos e leis municipais.

De acordo com o Ministério Público do Piauí, a orientação expedida pela 2ª Promotoria de Justiça de Bom Jesus, tem como objetivo fazer cumprir o caráter concorrencial e a impessoalidade no processo de escolha de empresa privada para prestação serviço público.

O MPPI informou que a recomendação considera que no exercício de 2021, o Poder Executivo do município de Bom Jesus, conforme consulta ao sistema Sagres do Tribunal de Contas do Estado do Piauí(TCE-PI), efetuou gastos em valores superiores a R$ 50.000,00, pelo que não é possível a dispensa de licitação, com base no art. 75, II, da Lei nº 14.133/2021. De regra, a contratação com o poder público deve ser precedida de licitação, conforme o disposto na Constituição Federal.

O representante do órgão ministerial recomendou ao prefeito que abstenha-se de publicar, em órgão de imprensa oficial próprio, até que estes comprovem o efetivo cumprimento dos requisitos de segurança e autenticidade exigidos pelo TCE-PI.

No procedimento, o MPPI sugere ainda que na hipótese de o serviço ter estimativa de custo superior a R$ 50.000 que a contratação seja precedida do devido procedimento licitatório.

Diante disso, o MP infomou que o gestor tem um prazo de 10 dias úteis, contado a partir do recebimento, para informar o cumprimento das recomendações, com envio da documentação comprobatória.

Facebook
Indicado para você
Veja também