Viagora

Regina Sousa amplia beneficiários da Lei Patrimônio Vivo do Piauí

Conforme o Governo do Piauí, o PL fornece aporte financeiro para mestres e grupos que exercem ofícios referentes a arte santeira, renda de bilro ou demais manifestações culturais.

A governadora Regina Sousa assinou um decreto que amplia as vagas dos beneficiários da Lei de nº 5.816/2008 referente ao Patrimônio Vivo do Estado do Piauí, de autoria do deputado Fábio Novo.

Conforme o Governo do Piauí, o PL fornece aporte financeiro para mestres e grupos que exercem ofícios referentes a arte santeira, renda de bilro, ou manifestações culturais ligadas à dança, música, literatura de cordel.

Foto: Divulgação/Governo do Estado do PiauíRegina Sousa em reunião com o deputado Fábio Abreu.
Regina Sousa em reunião com o deputado Fábio Abreu.

Ainda segundo o Governo, os beneficiários da Lei poderão utilizar o recurso financeiro para transmitir seus conhecimento e experiências e auxiliar na perpetuação dos ofícios que são tradicionais no Piauí, além de serem reconhecidas no Brasil e no mundo.

A Lei foi regulamentada por Regina Sousa ainda em janeiro de 2021 quando a gestora atuava como vice-governadora do Piauí. Após a medida o projeto foi encaminhado para apreciação na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi).

Segundo o deputado Fábio Novo, através da lei o Governo do Piauí auxiliou 30 mestres populares e com a nova ampliação pretende apoiar mais artistas, em especial aqueles que estão em idade avançadas.

“Conseguimos através dessa lei, ajudar inicialmente 30 mestres populares. Hoje estamos tentando ampliar o número de vagas para o Patrimônio Vivo, que garante aos mestres da cultura popular uma bolsa de incentivo”, explica o deputado.

O deputado ainda explicou que a alteração por meio do novo decreto irá garantir uma bolsa de incentivo ofertada de forma mensal aos mestres e grupos culturais. A medida também permite que os artistas possam compartilhem o conhecimento com a juventude através de apresentações em escolas.

“Com isso eles passarão a receber uma bolsa mensal e toda carga cultural que ele tem possa ser repassada nas escolas, nas apresentações culturais. Isso valoriza nosso patrimônio vivo e garante renda para essas pessoas que durante toda sua vida emprestaram seu fazer cultural para engrandecer a cultura do estado do Piauí”, enfatiza Fábio Novo.

Facebook
Indicado para você
Veja também