Viagora

Governo debate estratégias de combate à violência contra mulher no Piauí

Em reunião com Regina Sousa foi apresentado 11 propostas que incentivavam a ampliação da divulgação da campanha de violência contra a mulher no Piauí

Nessa segunda-feira (25), a governadora Regina Sousa participou de uma reunião com os representantes da Rede de Enfrentamento a Violência Doméstica contra a Mulher e da Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres (CEPM), com o objetivo de discutir estratégias para ampliar as ações de combate a violência contra a mulher. O encontro que aconteceu no Palácio de Karnak também contou com a participação do secretário de Segurança Pública, coronel Rubens Pereira.

Conforme o Governo do Piauí, os representantes apresentaram um documento com 11 propostas entregues a gestora estadual, que tratavam sobre o aumento da divulgação da campanha de violência contra a mulher veiculadas nos programas policiais da TV aberta, devido a audiência que o mesmo recebe diariamente.

Foto: Divulgação/InstagramRegina Sousa trata sobre política públicas voltadas as mulheres.
Regina Sousa trata sobre política públicas voltadas as mulheres.

Ainda de acordo com o documento, devido as condições impostas pela desigualdade social há diversas mulheres que não possuem acesso à internet, dessa forma a veiculação das campanhas na TV auxiliaria na divulgação do conhecimento em relação aos seus direitos básicos.

Na oportunidade a governadora destacou a relevância da campanha de enfretamento a violência doméstica enfatizando que o diálogo constante entre os órgãos do poder público é essencial para perpetuar novas medidas que visam a redução desse cenário de aumento dos números de feminicídio e agressão contra as mulheres.

“Tem uma rede de combate à violência contra a mulher para vermos uma avaliação sobre a incidência do feminicídio no estado do Piauí, que é muito grande, um dos estados que mais acontece feminicídio, está sempre entre os três primeiros e que medidas podemos ter para amenizar isso”, diz Regina Sousa.

Regina Sousa pontua também que é através da comunicação entre as instituições que os problemas enfrentados pelo público feminino podem ser analisados com novas propostas de correção. A criação de mais delegacias de atendimento à mulher e a incorporação de policiais civis no atendimento em municípios que não possuem as unidades especializadas.

“Então elas apresentaram algumas coisas que podem acontecer, fazer os inquéritos andar mais rápido, termos delegacia da mulher, aí nós temos o problema de não termos muitas mulheres nos concursos, são poucas mulheres prestando concurso porque até então era uma profissão muito masculina, mas a gente está tentando resolver, estamos vendo policiais civis que podem assumir o atendimento em cidades onde não têm delegacias, porque as delegacias precisam ser instaladas com delegadas, que a gente faz questão que seja mulheres.  Não que não possam ser homens, mas para isso precisam ser formados, onde também vamos trabalhar essa questão da formação de homens para trabalhar nas delegacias”, destaca a governadora.

Durante o encontro a governadora e os representantes também discutiram sobre a ampliação de delegacias especializadas para mulheres que atualmente conta com 12 unidades, segundo a coordenadora da CEPM, Zenaide Lustosa.

“Temos hoje 12 delegacias especializadas no Piauí, sendo quatro em Teresina e oito no interior. Precisamos chegar em mais cidades”, explica a gestora.

Além disso, a reforma nas unidades que já atuam no Estado também foi pautada, assim como a contratação de mais profissionais da área de assistente social e psicólogas, bem como um maior envolvimento dos CRAs e CREAs junto as delegacias especializadas.

O aumento da divulgação do Botão de Pânico, disponível no aplicativo Salve Maria, ainda foi reivindicado durante a reunião. O mecanismo é acionado por mulheres para alertar os policiais sobre a ocorrência que a vítima está enfrentando, dessa forma os oficiais podem chegar o mais rápido possível no local informado.

Dentre outras medidas de fortalecimento da campanha, está o reforço da Patrulha Maria da Penha que tem o objetivo de anteder novas denúncias evitando consequências maiores e não apenas medidas protetivas.

Segundo o secretário Rubens Pereira, uma licitação está sendo articulada para possibilitar uma reforma nas delegacias das mulheres e para aquisição de viaturas e equipamentos para melhorara a qualidade do atendimento nas delegacias.

O secretário Rubens Pereira anunciou que a Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI) irá promover a criação de um núcleo de atendimento específico às mulheres nas regiões em que não for possível instalar uma delegacia especializada.

“Sempre que possível, como policiais femininos, para esse primeiro atendimento à mulher”, enfatiza o secretário Rubens Pereira.

Por fim, a governadora Regina Sousa discutiu sobre a problemática de reincidência a violência com o retorno das vítimas para a casa de seus agressores ou onde o fato aconteceu.

“Moradias para as mulheres que são vítimas de violência e vão para casa abrigo e depois acabam voltando para a mesma casa então o que a gente tem que pensar esse lado como políticas que possam amenizar o sofrimento das mulheres que são vítimas de violência”, finaliza.

Facebook
Indicado para você
Veja também