Viagora

Regina Sousa debate sobre projeto com Banco Mundial

Conforme o Governo do Piauí, a ação terá a participação das Secretarias da Saúde e da Assistência Social e a Coordenadoria de Políticas para as Mulheres, coordenado pela Secretaria de Planejamento,

Nessa segunda-feira (1º), a governadora do Piauí, Regina Sousa, recebeu representantes do Banco Mundial no Palácio de Karnak. Na reunião os gestores debateram sobre a abertura da terceira missão de preparação do projeto Piauí Pilares de Desenvolvimento Humano. A medida tem o objetivo de fortalecer o sistema de vigilância em saúde e o setor de assistência social.

Conforme o Governo do Piauí, a ação terá a participação das Secretarias da Saúde e da Assistência Social e a Coordenadoria de Políticas para as Mulheres, coordenado pela Secretaria Estadual do Planejamento.

De acordo com a governadora, a missão do Banco Mundial vai até o próximo dia 05 de agosto e Regina Sousa afirmou que o projeto ainda precisa passar por diversas fases.

“São reuniões que o Banco Mundial faz quando está trabalhando a elaboração do projeto nos estados, são várias etapas para chegar à formalização.  A primeira fase foi a autorização pela Assembleia Legislativa. Quando há essa autorização muitas pessoas já espalham que foi feito empréstimo. Porém agora, que estamos elaboração, são várias etapas que o banco impõe para avaliar se estamos cumprindo. Escolhemos áreas que estão necessitando de reforço, a exemplo da vigilância sanitária, assistência social, segurança alimentar e transferência de renda. Temos um prazo até dezembro para finalizar essa parte do projeto e partimos para a votação no Senado”, explicou.

Além disso, a governadora ressaltou que “o Piauí está bem, com uma capacidade e endividamento que dificilmente o Senado irá rejeitar”.

Segundo o secretário da Assistência Social, José Santana, o Piauí será contemplado com a estrutura física e de equipamentos com o objetivo de melhorar as condições de trabalho para técnicos que atuam junto às famílias mais vulneráveis.

“Vislumbramos um aumento no número de famílias atendidas e buscarmos corrigir distorções que acontecem no próprio programa federal, na qual, por exemplo uma família que possui apenas um dependente recebe o mesmo valor de uma mãe que tem seis filhos. A prioridade é toda a área da assistência, principalmente no pós-pandemia é o socorro às famílias mais necessitadas”, afirma.

A oficial sênior de operações do Banco Mundial, Daniela Pena, foi aprovada pelo Governo Federal, uma Carta Consulta no valor de 50 milhões de dólares para o Estado.

“Esse projeto tem a contrapartida do Estado de 12 milhões de dólares totalizando 62 milhões de dólares e cobre dois setores, assistência social e saúde. Vamos estar apoiando o cartão social que já está em curso, a restruturação da Secretaria da Assistência Social e provavelmente uma inclusão produtiva. Tudo isso, em um contexto pós pandemia, que deixou um déficit muito grande para o Brasil e para o Piauí. Nós já havíamos trabalhado no Estado antes e a nossa proposta é finalizar a preparação desse projeto até o fim desse ano para começar a execução em 2023”, relatou.

Facebook
Indicado para você
Veja também