Viagora

Wellington quer lançamento da pré-candidatura de Rafael em abril

O governador pede um pouco mais de tempo e defende que a data de lançamento da pré-candidatura seja prorrogada, devido às missões na qual o secretário de Fazenda está empenhado.

Nesta terça-feira (21), o governador do Piauí, Wellington Dias, falou sobre o lançamento da pré-candidatura do secretário de Fazenda Rafael Fonteles para disputar o governo em 2022.

A expectativa de alguns membros do partido é que a candidatura de Rafael Fonteles aconteça no dia 15 de janeiro de 2022, porém, segundo o governador há muito trabalho a ser executado e o diretório do partido ainda não tomou uma decisão.

  • Foto: Luis Marcos/ ViagoraGovernador Wellington Dias e Rafael FontelesGovernador Wellington Dias e Rafael Fonteles

“Eu conversei com o presidente do Partido dos Trabalhadores o deputado Francisco Limma, conversei com o próprio secretário Rafael e eu gostaria de contar com ele, a equipe de governo até o limite das regras eleitorais. Nós temos muita coisa ainda para trabalhar e fazer, já vamos entrar em 2022 no ano de eleições, mas há um compromisso de todos nós, ele deve estar analisando com o partido, eu espero que seja este o caminho”, afirma.

Para Wellington Dias a atuação de Rafael Fonteles na secretaria de Fazenda e em outros projetos como o PRO Piauí é importante e precisa continuar sendo coordenada pelo gestor, por isso o governador avaliou que a data de lançamento da candidatura deve ser prorrogada.

 “O fato é que quando você tem anuncio para pré-candidatura normalmente você tem uma dificuldade maior de atuar pré-candidato e como a missão que é própria do trabalho, eu sempre vejo isso como um desafio ainda maior, é possível, nós temos outras pessoas que são da equipe, são parlamentares que estão afastados do mandato e é natural que sejam candidatos, porém nós queremos focar no limite, no máximo, nas ações, o PRO Piauí, por exemplo, que o secretário Rafael coordena, é um programa ousado e dinâmico, temos uma necessidade de prosseguir coordenado por ele, claro que na frente vamos ter uma equipe de transição para diferentes áreas e vamos ter que tomar decisões para ver quem prossegue, porque os programas vão continuar mesmo no período eleitoral”, explicou o governador.

O governador pede um pouco mais de tempo e defende que a data de lançamento da pré-candidatura seja prorrogada, devido às missões na qual o secretário de Fazenda está empenhado.

“Eu disse há pouco é a direção do partido que toma decisões como essa, tenho conversado com o secretário Rafael sobre o quanto o Piauí precisa dele dedicado ainda na missão de secretário da Fazenda, o PRO Piauí e também temos outras missões como ele ainda está trabalhando, está fazendo a transição também em relação a presidência do Conselho de Secretário de Fazenda do Brasil inteiro, ou seja, é o partido que decide, mas a minha opinião é externada para ele e para o presidente do partido é de que possa ter um pouco mais de tempo, e eu sei do compromisso com o Piauí e dedicação com muito trabalho porque o Piauí precisa muito de toda essa energia que ele tem para ajudar principalmente esse programa de desenvolvimento econômico sustentável que é o PRO Piauí”, afirma.

Wellington Dias declara que o período ideal seria 02 de abril, conforme estabelece as regras eleitorais para lançamento de pré-candidatura e afastamento do candidato das atividades públicas.

“Vamos seguir a lei, ela estabelece regras, a regra diz que em uma opção de candidatura, como se desenha, é 2 de abril, o período que se tem o afastamento de quem será candidato, é o período de filiação a primeira regra e tem um período de afastamento de atividades públicas e outras para poder ser candidato”, destaca.

Rafael Fonteles pontuou que está aguardando a decisão do partido que será tomada em 2022, além disso o secretário afirmou que a estratégia que for tomada pelo PT será avaliado e aprovado por ele.

“Eu estou aguardando o Partido dos Trabalhadores decidir conforme as suas instâncias então como eu disse o nosso nome está a disposição, mas para o ano que vem, nós vamos debater dentro do partido, o que eu posso dizer atualmente. Como eu disse a gente vai participar do debate no ano que vem, essa questão é muito mais do diretório do partido que vai decidir essa questão estratégica e, portanto para nós o que o partido decidir está muito bem avaliado e aprovado por mim", concluí o secretário de Fazenda.

Facebook
Indicado para você
Veja também