Viagora

"Jamais integrarei partido a qual Bolsonaro pertence", diz Fábio Xavier

O parlamentar explica que continua fomentando uma relação de amizade e gratidão com o presidente nacional Valdemar Costa, porém se declarou “parte vencida” após o PL receber Bolsonaro.

Nessa terça-feira (22), durante ato de filiação ao PT o deputado estadual Fábio Xavier declarou que o PL não está sendo tomado por bolsonaristas, mas que sua estadia no partido após o ingresso do presidente da República, Jair Bolsonaro, ficou impossibilitada.

O parlamentar explica que continua fomentando uma relação de amizade e gratidão com o presidente nacional da sigla, Valdemar Costa Neto, porém Fábio Xavier se declarou “parte vencida” após o PL receber o presidente na sua composição.

Foto: Luis Marcos/ ViagoraDeputado Fabio Xavier
Deputado Fabio Xavier

A sigla a qual Fábio Xavier auxilio na consolidação no Piauí fazia parte da base governista, mas atualmente com a presidência estadual da jornalista Samantha Cavalcase, o PL se reorganiza para representar a oposição.

“Na verdade, o partido não foi tomado [por Bolsonaristas], eu de livre e espontânea vontade tenho uma relação e uma gratidão muito grande ao Valdemar Costa Neto, é meu amigo pessoal e companheiro, mas o partido é feito de partes e eu fui parte vencida no dia onde decidiram sobre a entrada de Bolsonaro. Eu jamais integrarei um partido a qual esse cidadão pertence, porque não tenho a menor identificação com pessoas que lidam mal com o ser humano e a vida das pessoas. Durante a pandemia nós vimos a forma como essa situação foi tratada, eu sou frontalmente contra isso e esse foi um dos muitos motivos que eu tenho para deixar a sigla que eu ajudei a construir”, explica o parlamentar.

No início do ano Fábio Xavier entregou o diretório do PL ao presidente nacional do partido simbolizando sua saída do partido após anos no projeto consolidado. O deputado explicou que ingressa no PT com humildade e visando participar da administração do partido, porém sem pretensão de assumir a diligência da sigla.

“Para mim isso não é nenhum demérito, porque acredito que precisamos trabalhar e construir os espaços, eu estou entrando no PT com toda humildade, mas eu pretendo dentro do Partido dos Trabalhadores seguir progredindo dentro desse partido seguindo tudo aquilo que eu aprendi a fazer que é trabalhar pelo povo do Piauí, defender as bandeiras do partido porque acredito nelas. Em função disso, eu tenho certeza que muito em breve estarei também participando da administração do partido, não entrei aqui para tomar lugar de ninguém, o que eu quero é contribuir com o partido. Eu não tenho intenção de ser mais dirigente de partido, eu já passei 12 anos como presidente de uma legenda, eu acho que agora é minha vez que contribuir com o partido em outras áreas propugnando suas ideias, levando suas ideologias que eu considero importantíssima. Eu irei sem dúvida alguma contribuir com o PT onde eu for chamado. É sentimento de alegria, na verdade desde 2002 eu pertenço a administração de Wellington Dias, já fui seu assessor, passei 8 anos na secretaria de Estado, o sentimento é de gratidão pela maneira como fomos recebidos e tenho certeza que poderemos contribuir muito com esse projeto do governo do PT, um projeto para o piauiense e brasileiro.”, destaca o parlamentar.

Facebook
Indicado para você
Veja também