Viagora

Piauí registra nove casos de H3N2, diz Secretaria de Saúde

O estado foi um dos últimos estados a apresentar casos confirmados devido o alto índice de 80% da cobertura vacinal da gripe.

Nesta quarta-feira (29), a Secretaria de Saúde do Estado (Sesapi), divulgou que o Piauí registrou nove casos confirmados do vírus H3N2, da nova cepa que está provocando surtos epidêmicos em vários estados brasileiros.

De acordo com a Sesapi, o Piauí foi um dos últimos estados a apresentar casos confirmados devido o alto índice de 80% da cobertura vacinal da gripe.

Ainda segundo a Sesapi, o estado registrou 15 casos de síndrome gripal com resultado para Influenza A, destes 10 casos, 67% são do subtipo H3N2, quatro casos do Vírus Sincicial Respiratório-VSR, 27%, além de um caso de Rinovírus com 0,6%.

A secretaria informou ainda que cerca de 125 amostras de Swab foram testadas no painel de vírus respiratórios. Os 10 casos registrados de síndrome gripal por H3N2 foram identificados nos municípios de Monsenhor Gil, Piripiri, Teresina e Timon. O caso identificado na cidade do Maranhão foi enviado ao município.

Destes casos identificados, cinco são pessoas do sexo masculino e cinco do sexo feminino, com idades que variam de 11 a 85 anos.

O secretário de Saúde, Florentino Neto, explicou que a identificação da cepa H3N2 apenas é possível através da avaliação do painel viral. Ainda segundo o gestor, os exames são feitos por meio do Laboratório Central (Lacen), localizado no estado, onde são testados 12 tipos de vírus, são eles Adenovirus, influenza A e B, Rinovirus, bocavirus, enterovirus, parainfluenza 1, 2, 3 e 4b e vírus sincicial respiratório A e B.

O secretário de Saúde também ressalta que “o nosso laboratório de referência está equipado para atender a demanda”, afirma o gestor.

Florentino Neto destaca que os casos da nova variante da Influenza apresentam transmissibilidade alta, porém possuem sintomas leves que podem ser tratados em casa, sem a necessidade de atendimento médico.

Por fim, o gestor orienta a população a procurar as unidades de saúde somente em casos de sintomas como falta de ar, indisposição, ou aqueles que impossibilite as atividades normais, além de vômitos e diarreia.

A Sesapi deve emitir um alerta destinada aos municípios sobre as variantes gripais que circulam no estado. Segundo o superintendente de Atenção à Saúde, Herlon Guimarães, o órgão deve chamar atenção do grupo com maior vulnerabilidade para a doença como idosos, gestantes e pessoas imunossuprimidos.

"Esse é um surto nacional e a tendência é que os casos devam crescer por conta da alta transmissibilidade. As medidas preventivas que servem para a Covid-19 também servem para essa síndrome gripal, como distanciamento social, uso de máscara, uso de álcool, além de evitar aglomerações", conclui Herlon Guimarães.

Facebook
Indicado para você
Veja também