Geral

Bandeira vermelha volta e conta de luz fica mais cara

A partir desta terça-feira (1º), as tarifas serão taxadas com bandeira vermelha, uma cobrança extra de R$ 6,243 a cada 100 kWh.
01/12/2020 08h35 - atualizado

O sistema de bandeiras tarifárias nas contas de energia retorna a partir desta terça-feira (1º), aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A tarifa estava suspensa desde maio deste ano, devido à pandemia da Covid-19. A agência havia deixado, até o fim do ano, a bandeira verde acionada, que significa sem cobrança extra.

Segundo a Aneel, não é mais possível manter a bandeira verde acionada, dada a conjuntura atual. Assim, a partir de hoje, as tarifas serão taxadas com bandeira vermelha, uma cobrança extra de R$ 6,243 a cada 100 kWh.

O diretor Efrain Pereira da Cruz afirmou que os principais reservatórios do país, no Sudeste e Centro-Oeste, além do Sul, há “afluências críticas” e deterioração nos meses de outubro e novembro. Isso levou ao acionamento de termelétricas, o que pressionou o custo de geração de energia no País diante de uma "oferta adversa".

De acordo com Efrain, o preço da energia no mercado de curto prazo (PLD) atingiu o teto em todos os sub mercados. Ele disse ainda que o Custo Marginal da Operação (CMO) da próxima semana operativa (de 28 de novembro a 4 de dezembro) foi estabelecido em R$ 744,43/MWh em todos os sub mercados do País, o maior do ano

Ainda segundo ele, o consumo de energia retomou o patamar pré-pandemia em setembro, e o setor enfrenta novamente uma seca que há muito não se via. Por isso, a avaliação da Aneel é que o sistema de bandeiras precisa ser retomado imediatamente - e não apenas em janeiro de 2021, como indicava a nota técnica do órgão regulador.

"São indícios concretos de que o mecanismo das bandeiras já merece ser restabelecido e a curto prazo, tendo em vista sua eficiência na sinalização de preços aos consumidores", disse o diretor.

No sistema atual, que estava suspenso desde maio, na cor verde, não há cobrança de taxa extra, indicando condições favoráveis de geração de energia no País. Na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1,343 a cada 100 kWh consumidos.

Já a bandeira vermelha pode ser acionada em um dos dois níveis cobrados, dependendo da quantidade de termelétricas acionadas. No primeiro nível, o adicional é de R$ 4,169 a cada 100 kWh. No segundo nível, a cobrança extra é de R$ 6,243 a cada 100 kWh.

Com informações do Portal O Tempo

Mais na Web