Geral

Bolsonaro diz que vetará reajuste salarial de servidores públicos

De acordo com Bolsonaro, Rodrigo Maia havia sugerido o corte de 25% nos salários dos servidores, mas Paulo Guedes decidiu que seria melhor que não houvesse reajuste.
07/05/2020 16h03 - atualizado

Nesta quinta-feira (07), o presidente Jair Bolsonaro disse que irá vetar o trecho do plano de socorro aos estados e municípios, devido à crise da Covid-19, que permite o reajuste de salários dos funcionários públicos.

De acordo com o Bolsonaro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, havia sugerido o corte de 25% no salário dos funcionários públicos, porém, o ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu que não houvesse reajuste nos salários até dezembro do ano que vem.

"Volta para o servidor público, que tem estabilidade e tem um salário. Há pouco, uma proposta do presidente da Câmara [Rodrigo Maia] era de cortar 25% para todo mundo. O Paulo Guedes decidiu que poderia ser menos drástico, apenas que até dezembro do ano que vem não tivesse reajuste. E assim foi acertado", disse Bolsonaro.

Ainda segundo o presidente, o Congresso Nacional considerou que algumas categorias poderiam ter os salários reajustados, e afirma que a medida tomada na Economia é de maneira “consciente e com razão”.

"O que nós decidimos: eu sigo a cartilha de Paulo Guedes na economia. Não é de maneira cega, não. É de maneira consciente e com razão. Se ele acha que deve ser vetado esse dispositivo, assim será feito. Devemos salvar a economia porque a economia é vida", afirma Bolsonaro.

Mais na Web