Polícia

DEPRE prende 7 pessoas por comercializar drogas sintéticas no Piauí

Segundo a polícia, dois dos mandados foram cumpridos contra pessoas que já estavam sob custódia no sistema prisional do estado.
22/04/2021 10h00 - atualizado

Nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (22), a Delegacia de Repressão e Entorpecentes (DEPRE) cumpriu sete mandados de prisão durante a Operação Conexão Artificial, com o objetivo de desarticular uma organização que atuava na comercialização de drogas sintéticas no estado do Piauí.

Segundo a Polícia Civil, dois dos mandados foram cumpridos contra pessoas que já estavam sob custódia no sistema prisional do estado.

  • Foto: Polícia CivilDrogas semi sintéticas apreendidas.Drogas semi sintéticas apreendidas.

O delegado Antônio Nilton que preside o inquérito da operação disse que as prisões são resultado de um trabalho de investigação realizado ao longo dos últimos meses, para desvendar o esquema de distribuição de drogas sintéticas e semi sintéticas.

“Essa é uma investigação desenvolvida pela equipe da Depre que tem por finalidade desvendar um esquema de distribuição de drogas sintéticas e semi sintéticas no estado do Piauí. Durante a investigação, foram presas varias pessoas e conseguimos reunir provas  de que esse pessoal era associado entre eles nessa distribuição”, disse o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, um dos alvos da operação é um homem que foi preso em Pedro II no início do mês de abril, após a polícia identificar um esquema sofisticado de produção de drogas. O filho de um juiz é suspeito de manter laboratórios e estufas para a fabricação de drogas super potentes.

“Esse rapaz de Piripiri, que já se encontra no sistema penitenciário, teve sua prisão novamente decretada hoje porque  investigação comprovou que ele pé associado a alguns dos presos, para distribuir as drogas em Teresina e no litoral piauiense”, afirmou.

O delegado Nilton disse ainda que foi apurado, durante a investigação, que a maior parte dos entorpecentes eram distribuídos na zona Leste de Teresina e seu público são pessoas com maior poder aquisitivo.

“O que conseguimos colher na investigação,  é que a maior parte dessas drogas eram distribuídas principalmente na zona Leste de Teresina, e essas semi sintéticas são drogas mais caras, então o público delas é de poder aquisitivo elevado”, disse.

Com informações da TV Cidade Verde.

Mais na Web