Polícia

Família e servidores do INSS são presos pela PF em Teresina

Os suspeitos presos, devem responder pelos crimes de associação criminosa, estelionato qualificado, falsidade ideológica, corrupção passiva e corrupção ativa.
  • DA REDAÇÃO
15/05/2019 13h30 - atualizado

Durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (15), a Polícia Federal informou que a quadrilha presa durante operação suspeita de fraudar a Previdênciaera formada por irmãos. Segundo a PF, os líderes da organização criminosa eram as esposas, mãe e padrasto.

Dois servidores do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) de Teresina transferiam os benefícios do Maranhão para o Piauí quando os titulares morriam, informou a PF.

  • Foto: Lucas Dias/GP1A operação aconteceu nesta quarta-feira (15) em TeresinaA operação aconteceu nesta quarta-feira (15) em Teresina

Foram identificados pela polícia 639 benefícios que eram utilizados pela quadrilha. De acordo com o serviço de inteligência do INS,  o prejuízo já soma R$ 26 milhões.

Todos os mandados foram cumpridos em Teresina, nas cidades maranhenses de Bacabal e Pedreiras. Dois servidores do INSS foram presos. 

A investigação começou em 2018, através de Relatórios da Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. Os relatórios teriam mostrado irregularidades quanto as transferências de benefícios previdenciários nos dois estados.

A PF informou ainda que cumprimento dos mandados de busca irão continuar nas agências do INSS da avenida João XXIII e em outro imóvel na zona Leste da capital.

Os suspeitos presos, devem responder pelos crimes de associação criminosa, estelionato qualificado, falsidade ideológica, corrupção passiva e corrupção ativa, informou a Polícia Federal.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web