Polícia

Greco prende jornalista Arimatéia Azevedo em Teresina

Segundo a Polícia Civil, o jornalista está sendo investigado pelo cometimento de crime de extorsão, na forma qualificada, praticado contra um profissional liberal.
12/06/2020 08h12 - atualizado

Na manhã desta sexta-feira, 12 de junho, policiais do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) realizaram a prisão de duas pessoas em Teresina. Foram cumpridos mandados de prisão contra o jornalista Arimatéia Azevedo, proprietário de um portal de notícias, e contra um professor da Universidade Estadual do Piauí, identificado como Francisco Barreto.

Segundo informações divulgadas pelo coordenador do Greco, o delegado Tales Gomes, foi instaurado inquérito policial para investigar  crime de extorsão, supostamente praticado pelo jornalista e pelo professor contra um profissional liberal. Os acusados foram presos em suas residências, um no bairro Todos os Santos, zona Sudeste, e outro no bairro Piçarreira, zona Sul da capital.

  • Foto: DivulgaçãoJornalista Arimateia AzevedoJornalista Arimatéia Azevedo

"No âmbito de investigações em curso aqui no Greco, foi detectado o crime de extorsão, que é um crime de ação pública condicionada. Foi determinada confirmação do que foi levantado acerca dessa extorsão, praticada aqui em Teresina, e se constatou a prática desse crime por conta de um jornalista proprietário de um portal de notícias e de um professor da Universidade Estadual. Foi instaurado inquérito policial pelo delegado Laércio Evangelista, a fim de apurar a conduta dessas duas pessoas", informou o delegado Tales.

O inquérito policial que resultou na prisão do jornalista e do professor foi instaurado pelo delegado Laércio Evangelista, que relatou que o jornalista já responde a inquérito pela mesma prática delitiva.

"Durante as nossas investigações, foi constatado indícios do crime de extorsão por parte do jornalista contra um profissional liberal e na ocasião, um professor da UESPI, a mando do jornalista, teria ido em encontro da vítima e recebido a quantia de 20 mil reais para que fossem cessadas publicações ofensivas contra essa pessoa. No decorrer do inquérito, foi solicitada busca na residência do jornalista e no portal de notícias onde ele estaria veiculando essas matérias. Foi pedida prisão preventiva para os dois e eles se encontram na sede do Greco. Esse mesmo jornalista já foi preso em 2005 por conta dessa mesma modalidade delitiva, o crime de extorsão, e além disso já responde a diversos outros inquéritos criminais, por calúnia, difamação, ameaça e até mesmo extorsão", disse o delegado Laércio.

O mandado de prisão preventiva contra o jornalista e o professor foi expedido pelo juiz Valdemir Ferreira Santos, no dia 11 de junho.

Mais na Web