Piauí

Homem denuncia em vídeo abordagem policial violenta em Parnaguá

Através de nota, a Polícia Militar Piauí informou que o Comando do 7° Batalhão da PM vai tomar o termo de declaração do ofendido e fazer juntada do vídeo para instaurar procedimento.
14/10/2019 11h30 - atualizado

O advogado Marcos Rocha Amorim Filho, membro da submissão de Direitos Humanos da OAB-PI da subseção de Bom Jesus, denunciou ao Viagora através de um vídeo, um suposto abuso de autoridade praticado por um Policial Militar na cidade de Parnaguá.

No vídeo, o denunciante identificado como Marinésio relata que sofreu abuso de autoridade durante uma abordagem policial na última sexta-feira 11 de outubro, na cidade, por um PM identificado como cabo Rosa.

"Sou cidadão, estou indignado com policial Cabo Rosa, estou todo machucado, braço, mão, estou com meus documentos todos em dia, ele simulou que eu estava bêbado, embriagado, me machucou todinho, de algema. Eu queria mandar um alô para o governador Wellington Dias que eu votei nele, que se ele é governador do estado tira esse cidadão daqui de Parnaguá, que ele vai matar pessoas inocentes, ele deu dois tiros ia matar eu, ou minha mulher ou meus dois filhos. Estou todo documentado, ele alegando que eu estava bêbado e não estou bêbado, vim de Corrente desde de cedo perdi um dia de trabalho, porque fui receber um dinheiro meu, cheguei aqui em Corrente não tinha sistema e estava lá no banco desde de 13h esperando uma senha para ser atendido. E quando passo agora de noite ele dando batida em bandido, eu não sou bandido, sou cidadão de bem, trabalho, estou registrado, pago imposto em Paranaguá, tenho casa na cidade, ele não tem capacidade de perguntar pela documentação do veículo e do condutor. Ele não fez isso, mandou eu abrir minhas pernas como se eu fosse um criminoso, eu sou pai de família, trabalhador", o denunciante relata.

Sobre o caso, o advogado Marcos Rocha afirma: “Eu soube da denúncia pelas redes sociais, acho uma ação totalmente sem embasamento legal. Polícia não serve para bater, não existe penalidade de tortura na lei. Esse cabo rosa abusa de autoridade com frequência. Nunca tomei às providências legais cabíveis pois Parnaguá é vinculado a Corrente, e não a Bom Jesus”.

Outro lado

Procurada pela Viagora, a Diretoria da Polícia Militar do Piauí emitiu uma nota sobre o caso:

A Polícia Militar do Estado do Piauí informa que  o Comando do 7° Batalhão da Polícia Militar vai tomar o termo de declaração do ofendido e fazer juntada do video para instaurar o devido procedimento. 

Teresina, 14 de outubro  de 2019.

ELZA Rodrigues Ferreira - Ten Cel PM Diretora de Comunicação Social da PMPI

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web