Piauí

Julgamento de Djalma Filho é adiado para março de 2022

O juiz Antônio Reis Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal do Júri concedeu o pedido de adiamento.
29/10/2021 14h10 - atualizado

Foi mais uma vez adiado o julgamento do ex-vereador de Teresina, Djalma da Costa e Silva Filho, mais conhecido como Djalma Filho. O Júri Popular foi marcado para março de 2022, sem uma data definida.

Djalma Filho é acusado de ter assassinado o jornalista Donizetti Adalto em setembro de 1998, em Teresina.

Inicialmente, o julgamento estava previsto para essa segunda-feira (25), às 8h30 da manhã, e não foi realizado devido a renúncia dos advogados de defesa. Depois, um julgamento foi marcado para esta sexta-feira (29), mas o advogado, Lúcio Tadeu Ribeiro dos Santos, da nova equipe de defesa de Djalma Filho, protocolou um prazo de 180 dias para que possa estudar o processo.

O juiz Antônio Noleto acatou o pedido de adiamento após parecer favorável do promotor Régis Marinho e o novo julgamento será realizado na primeira quinzena de março do ano que vem.

  • Foto: DivulgaçãoDjalma Filho e Donizetti Adalto.Djalma Filho e Donizetti Adalto.

Relembre o crime

Baseado no inquérito policial proveniente do 2º Distrito Policial, no dia 19 de setembro de 1998, Donizetti Adalto foi morto durante uma emboscada, impossibilitando a sua defesa, onde foram desferidos vários tiros a queima roupa e, ainda agonizando, foi torturado, o que lhe causou traumatismo nas unidades dentárias.

O ex-vereador é acusado de ser o mandante do crime motivo fútil, meio cruel e a emboscada. O crime é considerado hediondo. Caso seja condenado, o ex-vereador Djalma Filho poderá pegar até 30 anos de prisão.

Mais na Web