Piauí

Maternidade Evangelina Rosa irá atender casos de alta complexidade

A decisão foi tomada levando em conta o perfil que a maternidade apresenta para o sistema de saúde do estado, sendo unidade de referência para atendimento de gestantes de alto risco.
01/06/2021 15h10 - atualizado

A partir de hoje (01), a Maternidade Dona Evangelina Rosa atenderá pacientes gestantes com o perfil estratificado de médio e alto risco. A decisão foi assinada pelo Secretário de Estado da Saúde Florentino Neto.

A decisão foi tomada levando em conta o perfil que a maternidade apresenta para o sistema de saúde do estado do Piauí, sendo unidade de referência para atendimento de gestantes de alto risco, e que uma superlotação na unidade ocasionada pela chegada de pacientes não regulados pela rede estadual de regulação pode levar prejuízo para o atendimento de casos de média e alta complexidade atendidos pela unidade.

  • Foto: DivulgaçãoMaternidade Dona Evangelina RosaMaternidade Dona Evangelina Rosa

As áreas técnicas da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) em conjunto com a equipe da maternidade Evangelina Rosa e a parceria do município de Teresina elaboraram um plano de trabalho para ser executado deste até o dia primeiro de agosto.

Até a data final a maternidade continuará acolhendo, orientando e referenciando as gestantes que procurarem a maternidade por demanda espontânea.

De acordo com a unidade de saúde, além de melhorar a qualidade do atendimento dos casos de alta e média complexidade que chegarem até a maternidade, a medida também ajuda a reforçar o papel dos municípios em qualificar suas ações do pré-natal, os pontos de atenção e referenciamento de pacientes de acordo com o que é preconizado no processo de regulação estadual.

O superintende de Organização do Sistema de Saúde da Sesapi, Jefferson Campelo, destaca os beneficios que a medida leva para o atendimento das gestantes piauienses.

“Esse é um trabalho de reorganização da rede de acesso as gestantes no Piauí. Esse processo vai otimizar o atendimento das gestantes não somente na maternidade evangelina rosa como no entorno da região entre rios. Queremos um atendimento mais humanizado em toda a região entre rios, iremos hierarquizar a rede, atendendo um fluxo das gestantes da forma mais adequada”, explica o superintendente.

A diretora de Unidade de Descentralização e Organização Hospitalar, Joselma Oliveira, ressalta que a meta dos trabalhos é fazer com que a Maiternidade Evangelina Rosa funcione dentro do seu perfil de atendimento de média e alta complexidade de gestantes de alto risco.

“O estado vem fazendo um trabalho de preparação de todas as unidades que trabalham com o atendimento de gestantes no entorno das regiões Entre Rios e Cocais, preparando maternidades e hospitais que realizam partos, capacitando profissionais e garantindo equipamentos. Dessa forma, garantimos um atendimento adequado para as pacientes em diversas unidades, evitando transferências que não se enquadrem no perfil da MDER ”, pontuou.

Mais na Web