Piauí

Operação da PRF-PI prende oito pessoas e apreende madeira irregular

A operação tem como foco o combate ao desmatamento, transporte ilegal de produto florestal, tráfico de animais Silvestres e maus tratos e demais condutas ilícitas praticadas no Piauí.
  • LAÍS VITÓRIA
10/02/2021 09h47 - atualizado

Na madrugada desta quarta-feira (10), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) encerrou mais uma operação de combate aos crimes ambientais, iniciada no último sábado (06). A ação faz parte da Operação Rodovida 2020/2021.

A operação tem como foco o combate ao desmatamento, transporte ilegal de produto florestal, tráfico de animais silvestres e maus tratos e demais condutas ilícitas praticadas no Piauí.

  • Foto: Divulgação/PRFMadeira apreendida pela PRF.Madeira apreendida pela PRF.

Todos os PRFs passaram por um breve treinamento com policiais que já realizam trabalho nessa área, abrangendo temáticas como, Legislação ambiental com foco na fiscalização do produto de origem florestal; Tipos de perfil e cálculo volumétrico e Instrução Normativa 21 do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA).

Foram 24 policias e agentes do IBAMA e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAR) mobilizados na regional, atuando em todas as rodovias federais piauienses. Nos quatro dias de ações coordenadas em pontos estratégicos de fiscalização, como as rodovias BRs 343, 135 e 316, as equipes da PRF no Piauí registraram 07 flagrantes de crimes ambientais relacionado a produtos de origem florestal.

De acordo com a PRF, a ação resultou na apreensão de 193,83 m³ de madeira irregular e apanhar ou criar em cativeiro espécimes da fauna silvestre sem a devida autorização legal, resultando no resgate de dois pássaros. No total, 08 pessoas foram detidas por crimes ambientais.

De acordo com os policiais ainda foram encontrados junto com os caminhoneiros 111 unidades de anfetaminas mais conhecidos com "rebites", droga usada como inibidor de sono.

Todas as pessoas detidas assinaram o Termo Circunstanciado de Ocorrência e deverão responder em juízo pelas práticas criminosas. Os passáros regatados e a madeira apreendida foram entregues ao IBAMA e a SEMAR para os devidos procedimentos legais.

Mais na Web