Piauí

Parque Nacional da Serra da Capivara demite 60 funcionários

Alguns dos recursos para manutenção e pagamento dos funcionários estão retidos na Justiça. Uma parte da verba no valor de R$ 500 mil foi liberada em 2017, mas o juiz responsável está de férias.
TATYANE MAZA
DE TERESINA
27/07/2018 09h17 - atualizado

Nesta quinta-feira (26), 60 funcionários que trabalhavam no Parque Nacional da Serra da Capivara, localizado no município de São Raimundo Nonato, foram demitidos por falta de recursos para cobrir as despesas.

A diretora da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM), Niède Guidon, relatou que alguns dos recursos para manutenção e pagamento dos funcionários estão retidos na Justiça. Uma parte da verba no valor de R$ 500 mil foi liberada em janeiro de 2017, mas o juiz responsável está de férias. "Nós temos esse recurso que foi conseguido pela OAB, mas o juiz entrou de férias e não fez a liberação”, informou a diretora.

  • Foto: Tiago Queiroz/EstadãoArqueóloga Niéde GuidonArqueóloga Niéde Guidon

Esse recurso é resultado de uma batalha judicial na Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Piauí (OAB-PI), além do Ministério Público Federal (MPF), para garantir a manutenção do parque. A ação bloqueou mais de R$ 3 milhões da União e R$ 782 mil seriam para suprir as emergências do local.

O parque funcionava com 70 funcionários antes da demissão e já chegou a operar com 250 pessoas.

Apesar da limitação do efetivo, a diretora da FUMDHAM garante que o funcionamento continua. As quatro guaritas de visitação funcionam durante o dia.

Em 1991, a UNESCO inscreveu o Parque Nacional Serra da Capivara na lista do Patrimônio Mundial, a título Cultural, em razão da importância dos registros rupestres existentes nos seus sítios arqueológicos.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web