Piauí

Partido MDB lamenta prisão de Michel Temer e critica Justiça

O partido do ex-presidente afirmou que a Justiça adotou uma “postura açodada”. A prisão teve como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix.
21/03/2019 13h00 - atualizado

O Movimento Democrático Brasileiro, partido de Michel Temer, lamentou a prisão do ex-presidente nesta quinta-feira (21) pela Força Tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro. O partido afirmou que a Justiça adotou uma “postura açodada”.

"O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa", diz o texto.

  • Foto: Agência BrasilMichel TemerMichel Temer disse ao jornalisa Kennedy Alencar que a prisão "é uma barbaridade".

Segundo o G1, a prisão teve como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix. O empresário disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do ex-presidente. A Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3.

Além de Temer, o ex-ministro Moreira Franco também foi preso. A PF cumpre mandados contra mais seis pessoas, entre elas empresários e o coronel João Batista Lima Filho, amigo do ex-presidente.

Preso, Temer foi levado para o Aeroporto de Guarulhos, onde vai embarcar em um voo e será levado ao Rio de Janeiro em um avião da Polícia Federal. O ex-presidente deve fazer exame de corpo de delito do IML em um local reservado e não deve ser levado à sede da PF de São Paulo, na Lapa.

Mais na Web