Polícia

Polícia diz que homem preso no Paraná não é Paulo Cupertino

A Polícia Civil divulgou que o homem preso em uma blitz no interior não é Paulo Cupertino, acusado de matar o ator Rafael Miguel e os pais em junho do ano passado.
28/10/2020 14h20 - atualizado

A Polícia Militar do Paraná voltou atrás e afirmou que o homem preso na manhã desta quarta-feira, 28 de outubro, pode não ser Paulo Cupertino, acusado de assassinar o ator Rafael Miguel e os seus pais em junho do ano passado.

A PM havia divulgado que prendeu um homem em uma blitz em Centenário do Sul, distante 400 km de Curitiba, e que ele seria Paulo Cupertino. A Polícia Civil, no entanto, não confirmou a prisão. O suspeito detido teria sido conduzido para a delegacia seccional de Maringá.

O delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Ruy Fortes, afirmou que a Divisão de Capturas recebeu informações da Polícia Civil do Paraná de que Paulo Cupertino tinha sido preso com documento falso em uma blitz de trânsito da PM. Depois, a Polícia Civil do Paraná teria afirmado que a informação não foi confirmada.

O delegado Ruy Fortes divulgou ainda que a PM e a Polícia Civil do Paraná solicitaram o mandado de prisão de Paulo Cupertino e que o documento teria sido encaminhado por e-mail para oficializar a prisão. A polícia do Paraná deve esclarecer a confusão sobre a identidade do homem ainda na tarde de hoje.

Com informações do R7.

Mais na Web