Piauí

"Prioridade é celeridade nos julgamentos", diz desembargador Ribamar Oliveira

O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí destacou ainda que a perspectiva é de construir um Judiciário 100% digital e com decisões mais céleres.
15/02/2021 06h33 - atualizado

O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador José Ribamar Oliveira, concedeu entrevista ao Viagora  e falou sobre prioridades e desafios de sua gestão no biênio 2021/2022, dentre outros assuntos.

Durante a entrevista, o presidente afirmou que a prioridade será dar mais celeridade ao andamento dos processos no estado e que a perspectiva é de construir um Judiciário 100% digital e com decisões mais céleres.

  • Foto: Divulgação/AscomPresidente do TJ-PI, desembargador Ribamar OliveiraPresidente do TJ-PI, desembargador Ribamar Oliveira

Viagora: Na avaliação do senhor, o que deve melhorar na Justiça do Piauí?

Des. Ribamar Oliveira: Muita coisa, a cada ano tem uma melhoria na Justiça, mas precisa melhorar mais. Estamos inclusive implementando ferramentas para que isso ocorra. O projeto processual por parte tecnológica na área, por exemplo. E são muitas ideias e todos trabalharemos juntos por essas melhorias, temos um plano de ação.

Viagora: A pandemia afetou de maneira significativa o poder Judiciário, contribuindo ainda mais com a morosidade. Como esse problema será superado pela justiça piauiense?

Des. Ribamar Oliveira: Temos como prioridade a celeridade nos julgamentos, estamos implementando ferramentas para fazer isso acontecer. O Lab TJ-PI, por exemplo, vai desenvolver ferramentas de tecnologias da informação para dinamizar o andamento dos processos e trazer agilidade. Além disso, no período de trabalho remoto houve movimento, muita produtividade, foi um avanço com certeza, e pretendemos aumentar ainda mais esses números de resultados efetivos. Na prática, o sistema Lab TJ-PI, vai permitir ao magistrado que reúna, com o máximo de brevidade, diversas jurisprudências sobre o tema em debate. Assim, o magistrado terá a possibilidade de proferir bem mais rápido sua decisões.

Viagora: No último relatório divulgado pelo CNJ, a Justiça do Piauí foi uma das piores em produtividade. Qual a avaliação do senhor diante desse resultado e o que é preciso ser feito para melhorar?

Des. Ribamar Oliveira: Eu posso lhe afirmar que muitos números ficaram de serem repassados, o que prejudicou certamente nossos resultados. Mas estamos realizando mudanças que ajudarão ainda mais na produtividade para melhorar nossos resultados e avaliação.

Viagora: O senhor afirmou que uma de suas propostas é aderir mais à tecnologia para facilitar os processos. Que outros investimentos em tecnologia o tribunal deve fazer nesta gestão?

Des. Ribamar Oliveira: Vamos investir na gestão no investimento em TI (Tecnologia da Informação) e aumentar também a nossa pesquisa para melhorar. A tecnologia da informação é algo que está sempre em mudança. O Piauí não pode ficar atrás e já temos projetos em andamento nesse sentido.

Viagora: Quais as principais preocupações do tribunal no pós-epidemia em termos de jurisprudência? 

Des. Ribamar Oliveira: Nós temos um serviço, instalado no ano passado dentro desse âmbito de pesquisas de jurisprudência, que vai facilitar. A questão da pandemia surpreendeu a todos, no entanto os tribunais tiveram a capacidade de se adaptar ao momento difícil e até a produzir muito mais, já que o tele trabalho permitiu que os servidores ficassem em suas casas, possibilitando uma produtividade bem superior.

Viagora: De que forma o senhor pretende administrar as dificuldades orçamentárias?

Des. Ribamar Oliveira: Esse é um ponto que sabemos que os governadores também sofrem da mesma dificuldade. Vamos trabalhar para melhorarmos os nossos índices. Estamos buscando formas para superar, como utilizando os recursos humanos e as tecnologias da informação para podermos apresentar bons resultados. É sabido que não é de hoje que a questão orçamentária sempre foi um problema.

  • Foto: Divulgação/AscomPresidente do Tribunal de Justiça do PiauíPresidente do Tribunal de Justiça do Piauí

Viagora: O senhor pretende realizar concurso público na sua gestão?

Des. Ribamar Oliveira: Estamos analisando essa possibilidade. Vamos avaliar o assunto, edital e criação de vagas. Vamos priorizar também essa questão, temos uma validade para isso.

Viagora: Na sua avaliação, qual será o seu maior desafio à frente do Tribunal de Justiça do Piauí?

Des. Ribamar Oliveira: Precisamos melhorar, avançar para conseguirmos uma colocação melhor no cenário do Judiciário Brasileiro. O nosso maior desafio é deixar o TJ-PI com uma capacidade melhor, mais enxuto, temos muito trabalho pela frente.

Viagora: Ano passado o STJ foi atacado por hackers. O TJ-PI tem capacidade técnica de evitar esse tipo de ataque?

Des. Ribamar Oliveira: Estamos implementando ferramentas, nos preparando para isso, através de investimentos em tecnologia e sistema de informação.

Mais na Web