Piauí

Teresina inicia vacinação de professores contra gripe nesta terça

Conforme a FMS, para receber a vacina os professores deverão levar documento pessoal com foto, cartão de vacina, contracheque atual ou declaração da escola em que leciona.
17/05/2021 17h00

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina informou que nesta terça-feira (18) dará início a vacina contra gripe para os professores na capital, que protege contra os três tipos de vírus.

De acordo com a coordenadora da Campanha de Vacinação Contra a Gripe da FMS, Adriana Sávia, para receber a vacina os professores deverão levar documento pessoal com foto, cartão de vacina, contracheque atual ou declaração da escola em que leciona. Ao todo, serão oito postos no formato driver thru em Teresina para atender os professores.

Confira os postos disponíveis para a vacinação contra a gripe:

- CEU Norte (Santa Maria da Codipi);

- UESPI (Campus Torquato Neto);

- Centro Universitário Santo Agostinho;

- Terminal de Integração Parque Piauí;

- Adufpi;

- Terminal de Integração Zoobotânico;

- Faculdade Estácio;

- Terminal de Integração Itararé.

Segundo a coordenadora da Campanha de Vacinação Contra a Gripe, aqueles que têm a segunda dose da vacina contra a Covid-19 programada para o fim deste mês devem aguardem mais um tempo para garantir a dose da vacina contra a gripe.

“Isso porque as pessoas que tomaram a vacina contra a Covid-19 devem tomar a vacina influenza respeitando o intervalo mínimo de 14 dias. Após esse período, eles podem se dirigir a uma das 68 salas de vacina nas Unidades Básicas de Saúde”, explica Adriana Sávia.

Conforme a coordenadora, os idosos também continuarão sendo vacinados nos mesmos pontos drive thru, e explica que a vacina da gripe protege contra os três tipos de vírus mais comuns no Brasil: o Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B.

“O objetivo é reduzir a circulação do vírus e, consequentemente, o número de hospitalizações e risco de morte devido à gripe, já que o Influenza está relacionado a uma série de complicações como pneumonia”, esclarece Adriana Sávia.

Mais na Web