Política

Wellington Dias vai cortar 2.300 cargos e vai extinguir 19 órgãos

Na noite desta segunda-feira (11), o governador Wellington Dias apresentou aos deputados da base aliada a reforma administrativa no Palácio de Karnak.
12/02/2019 09h00 - atualizado

Na noite desta segunda-feira (11), o governador Wellington Dias apresentou aos deputados da base aliada a reforma administrativa no Palácio de Karnak.

A reforma deverá ser encaminhada à Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (14). O projeto apresentado possui o corte de 2.304 cargos no governo e extinção de 19 órgãos estaduais.

  • Foto: Divulgação/AscomA reunião aconteceu na noite desta segunda-feira (11).A reunião aconteceu na noite desta segunda-feira (11).

A reforma foi apresentada pelos secretários de Administração Ricardo Pontes e da Fazenda Rafael Fonteles. A reunião contou com a participação da vice-governadora, Regina Sousa (PT) e deputados estaduais e federais.

Ainda no encontro, foi informada a extinção da SDR (Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural) e a apresentação de duas novas Secretarias: a Desenvolvimento da Agricultura Familiar e de Agronegócio.

Durante a reunião Wellington Dias disse ainda que não irá chamar nenhum deputado estadual para ocupar cargo no primeiro escalão.

Centralização
 

A Reforma prevê que toda política de contratação de pessoal, aumento salarial, capacitação e concursos deve ser pactuada primeiro pelo Conselho de Gestão de Pessoas. Além disso, a extinção e fusão de órgãos visa definir as atribuições específicas de cada pasta, evitando a sobreposição de ações.
 
Dessa forma, o Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi) deve centralizar todas as obras e ações na área de Recursos Hídricos, o que resultará na extinção da Coordenadoria de Recursos Hídricos. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PI) será responsável por todas as ações relacionadas à manutenção e conservação de rodovias pavimentadas e vicinais.
 
A Secretaria de Administração e Previdência deve centralizar todos os processos de licitação. A Empresa de Gestão de Recursos do Piauí (Emgerpi) ficará apenas com a gestão de pessoas, uma vez que a gestão das carteiras imobiliárias serão repassadas para a Agência de Desenvolvimento Habitacional (ADH), juntamente com o Programa de Regularização Fundiária Urbana (Minha Casa Legal). 

Contenção

O Governo do Piauí divulgou que pretende economizar cerca de R$ 300 milhões por ano e começa a tomar medidas de contenção de despesas no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta Estadual. Uma das principais medidas é a suspensão de novas contratações.

Mais na Web