Viagora

Desunião do PSC Piauí pode prejudicar o partido nas eleições de 2018

Gustavo Henrique, alega ter sido traído pelo Presidente Estadual do PSC, Tiago Vasconcelos.

O presidente do Diretório Municipal do Partido Social Cristão (PSC) no Piauí, Gustavo Henrique, alega ter sido traído pelo Presidente Estadual do PSC, Tiago Vasconcelos, que segundo Gustavo descumpriu a promessa de mantê-lo como secretário geral do partido no estado e está dirigindo o PSC em torno de interesses políticos próprios.

Gustavo Henrique alega que duas listas foram enviadas a Nacional do partido, uma delas com seu nome como secretário e outra em que ele não estava presente. “Eu fui pego de surpresa que a lista que nós enviamos, inclusive do e-mail dele [Tiago], para a Nacional, ele depois enviou uma outra sem o meu nome como secretário geral do partido”, disse.

  • Foto: Rayanne Trajano/ViagoraGustavo Henrique presidente do Diretório Municipal do PSCGustavo Henrique presidente do Diretório Municipal do PSC

O presidente do Diretório Municipal do PSC relatou ainda que Tiago Vasconcelos não teve apoio do presidente nacional do partido, Pastor Everaldo. “Dizendo ele que tem o apoio da nacional, mas eu já estive conversando com o presidente nacional, que me disse o seguinte: o regime é presidencialista e vocês tem que resolver aí, no Piauí”.

Gustavo acusou Tiago de administrar o partido em torno de interesses políticos pessoais. “Parece pelo comportamento dele, que ele quer montar o partido em torno dele, para favorecer a eleição dele de deputado estadual”, pontuou.

As discordâncias entre as duas lideranças do partido podem atrapalhar um alinhamento político para as eleições que acontecem no próximo ano. 

Sobre Gustavo Henrique não fazer mais parte do diretório do PSC, Tiago Vasconcelos disse ao Viagora que é natural quando se assume a presidência do partido, o presidente ter liberdade para indicar as pessoas que ele acredita que podem contribuir diretamente com o partido. Além de ressaltar que a renovação é necessária e natural.

“Foi uma coisa natural, você pode contribuir membro ou não do diretório, se essa for a intenção. A gente entende que quem está saindo, que antes compunha algum cargo, se chateia. É um processo natural, estamos na presidência, o diretório nacional nos deu essa autonomia. Inicialmente pensei em fazer uma composição com ele, mas só que tem outros nomes, ficar discutindo só o nome dele, mas eu percebi que ele havia orientado ao pessoal do interior que não desce o nome para mim, só desse para ele, isso antes de escolher quem iria compor. Eu compus com quem quis me dar o nome e não tive muita escolha, porque muita gente não quis dar o nome”, alegou Tiago.

  • Foto: Isabela de Meneses/ViagoraThiago Vasconcelos presidente estadual do PSCTiago Vasconcelos presidente estadual do PSC

Tiago negou também, que seu interesse seja promover sua candidatura a deputado estadual em 2018. “Na verdade, a gente tem o interesse de crescer o partido e inclusive trazer candidaturas competitivas. A ideia não é visar um projeto pessoal. Eu tive dois compromissos que eu fiz com a Nacional. A nacional me pediu para termos uma candidatura forte a deputado federal e tentar eleger um ou dois deputados estaduais, foi isso que a nacional me pediu. Se precisar da candidatura do presidente do partido para fechar a quantidade de candidatos necessário, é uma possibilidade. Quem está filiado a um partido está aberto a possibilidades”, relatou.

O presidente estadual do PSC também disse acreditar que essa questão entre ele e Gustavo Henrique não prejudica a imagem do partido. 

Facebook
Indicado para você
Veja também