Viagora

Luccy Keiko diz que tio de empresário confessou assassinato de jovens

O delegado geral da Polícia Civil do Piauí falou sobre o caso na manhã desta quarta-feira (26) na sede do DHPP.

Na manhã desta quarta-feira (26), o delegado geral da Polícia Civil do Piauí, Luccy Keiko falou sobre o caso do assassinato dos adolescentes Anael Natan de Souza, 17 anos e Luian Ribeiro de 16 anos, encontrados mortos no dia 15 de novembro às margens da PI-112, zona rural Leste de Teresina.

De acordo com o delegado, o tio do empresário João Paulo de Carvalho, dono do Frango Potiguar, confessou o assassinado dos jovens em depoimento à polícia. “Ouvimos o tio do empresário, que já aparenta ter em média uns 60 anos, ele veio aqui no DHPP, chorou bastante e confessou a prática do crime”, disse.

Foto: Luis Marcos/ ViagoraDelegado Luccy keko
Delegado Luccy keiko

O delegado afirmou ainda que o tio também alegou que os menores teriam invadido sua residência, que fica ao lado da casa de shows, para onde supostamente os jovens estavam indo.

“Ele alegou que os menores teriam entrado lá na residência dele para cometer algum crime, mas nada indica isso. É isso que precisamos esclarecer, o que realmente esses menores foram fazer lá, se realmente for comprovado que os menores foram pegos no interior da casa. Tem a hipótese de que eles estavam indo para a casa de shows que fica ao lado, mas é apenas uma hipótese. O certo é que independente da motivação, foi um crime gravíssimo que não tem nenhuma justificativa”, explicou.

Segundo o delegado, o tio do empresário foi ouvido depois que o carro de João Paulo foi identificado como suposto veículo usado para transportar os adolescentes até o local do crime.

“Ontem após a prisão temporária do empresário, ele falou que recebeu uma ligação na noite em questão de um tio dele, que mora vizinho há uma casa de shows, pedindo socorro, que teriam duas pessoas dentro da casa. Chegando lá, disse que já encontrou os menores imobilizados pelo tio e um filho e o tio pediu nesse momento, o carro dele que já estava do lado de fora, e colocou os menores dentro do carro amarrados e os teria levado sozinho para o local onde eles teriam sido mortos. E por isso ouvimos esse tio que confessou”, afirmou.

Foto: Luis Marcos/ ViagoraCarro utilizado na prática do crime
Carro utilizado na prática do crime

Conforme Luccy Keiko, a investigação é complexa, onde o crime foi realizado durante a madrugada e não tem testemunhas, e agora ao trabalho da polícia é identificar e saber se quem estava na residência no momento em que os jovens foram amarrados, também se dirigiu ao local da execução.

“Esse crime foi praticamente esclarecido e hoje nós temos a identificação de quem estava na residência no momento em que os menores foram amarrados. A identificação do indivíduo que assume que os levou e os matou. Agora ao trabalho da polícia é saber se quem estava na residência, também se dirigiu ao local da execução. Isso ainda tem dívidas que devem ser solucionadas nos próximos dias. É uma investigação complexa, um crime ocorrido na madruga, sem testemunhas, onde os corpos foram encontrados em local de difícil acesso, precisamos de mais tempo para entregar ao judiciário, todos os envolvidos no crime”, finalizou.

Facebook
Indicado para você
Veja também